Os 15 bairros mais caros de São Paulo; veja preço do metro quadrado

Com mercado de vendas em alta, preço do valor por metro quadrado de São Paulo aumentou em 5,14% em uma comparação ano a ano
São Paulo: população da cidade é de 12,33 milhões (2022) (Anton Petrus/Getty Images)
São Paulo: população da cidade é de 12,33 milhões (2022) (Anton Petrus/Getty Images)
Roberto Bodetti
Roberto Bodetti

Publicado em 01/08/2022 às 16:23.

Última atualização em 03/08/2022 às 16:17.

Maior proximidade do trabalho, mais opções para comércio, melhor infraestrutura no transporte público, estas são algumas das razões que fizeram com que a busca por imóveis na cidade de São Paulo crescesse no último ano. E, por consequência do aumento da procura por moradia na capital,  o valor do metro quadrado em alguns bairros sofreu uma valorização.

De acordo com um levantamento trimestral realizado pela plataforma QuintoAndar, o mercado de vendas de imóveis na cidade de São Paulo fechou em alta neste segundo trimestre, tanto nos valores anunciados quanto nos valores contratados. O crescimento no preço por metro quadrado na cidade de São Paulo foi de ao todo 0,96% se comparado com os primeiros três meses do ano, e ao todo 5,14% em um comparativo ano a ano. As zonas que mais tiveram aumento foram a Centro-Oeste e a Centro-Sul, com crescimentos de 13,6% e 5,3% respectivamente.

Quais são os 15 bairros mais caros de São Paulo?

Além de analisar as regiões que mais foram valorizadas, o estudo também traz uma lista com os 15 bairros que atualmente tem o valor por metro quadrado mais caro da cidade.  O levantamento analisa os dados do trimestre de transações de compras registrados na plataforma QuintoAndar. O recorte considera apenas os valores de contratos fechados em transações de apartamentos realizados na cidade de São Paulo. Como critério de corte, considera-se apenas os bairros onde houve pelo menos 10 transações imobiliárias no trimestre. Confira abaixo a lista dos bairros e seus respectivos preços:

Bairros Preço por metro quadrado
1. Pinheiros R$ 11.400,00
2. Moema R$ 10.938,00
3. Consolação R$ 9.582,00
4. Vila Mariana R$ 9.101,00
5. Ipiranga R$ 7.801,00
6. Aclimação R$ 7.650,00
7. Tatuapé R$ 7.303,00
8. Cambuci R$ 7.077,00
9. Vila Mascote R$ 6.875,00
10. Vila Andrade R$ 6.747,00
11. Bela Vista R$ 6.714,00
12. Santa Cecília R$ 6.418,00
13. Santana R$ 5.788,00
14. Panamby R$ 5.730,00
15. Mooca R$ 5.583,00

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

O valor apresentado computa a diferença entre o primeiro valor listado (anunciado) do imóvel e o preço final da transação (contratado). Nesta análise, os valores discrepantes são removidos e toma-se o valor médio do desconto negociado. O valor de “contratos x anúncios” é feito comparando os valores medianos dos anúncios listados no trimestre com os valores medianos dos contratos fechados no mesmo trimestre.

Quais os bairros que mais valorizaram São Paulo?

Estas podem não ser as localizações mais caras atualmente, mas de acordo com o estudo são definitivamente as que mais encareceram se comparados os preços com 2021.

Nesta ordem, os bairros do Brooklin, Vila Andrade, Tatuapé, Panamby e Consolação foram os que mais cresceram, sendo o maior deles o Brooklin, que teve seus imóveis valorizados em mais de 40%.

Quai os bairros que desvalorizaram em São Paulo?

Na contramão dos bairros mais valorizados, há também os que tiveram o seu valor por metro quadrado reduzido. Nesta lista estão presentes, em ordem da menor desvalorização para a maior, o bairro da Santa Cecília, Pinheiros, Bela Vista, Mooca e Vila Mariana, sendo que a Vila Mariana perdeu cerca de 20% do seu valor.

VEJA MAIS

Não perca as últimas tendências do mercado: assine a EXAME por menos de R$ 0,37 e receba notícias em primeira mão.