Marketing

Ryan Reynolds estrela comercial que promove Netflix, Samsung e gim

Ator divulga televisão QLED, seu novo filme e a bebida Aviation, na qual ele é sócio

Com o nome "Esquadrão 6", filme estrelado pelo ator Ryan Reynolds chega em dezembro à Netflix (Divulgação/Netflix)

Com o nome "Esquadrão 6", filme estrelado pelo ator Ryan Reynolds chega em dezembro à Netflix (Divulgação/Netflix)

São Paulo – Parece que o anti-herói Deadpool, vivido duas vezes por Ryan Reynolds nos cinemas, está influenciando demais o ator. Se nas telonas a personagem volta e meia quebra a "quarta parede" (divisão imaginária entre uma obra de arte e o espectador), Reynolds estrela uma campanha publicitária que abusa da metalinguagem para anunciar três produtos de uma vez.

O anúncio começa com Reynolds exibindo o trailer de "6 Underground" ("Esquadrão 6", no Brasil), em que ele é o protagonista e estreia em dezembro com exclusividade na Netflix, em uma TV QLED da Samsung. "Meu novo filme é tão grande que você vai querer assisti-lo em uma televisão maior e melhor", afirma o ator.

 

https://www.youtube.com/watch?v=Jbqw5foE7Mg

 

Nessa hora, o trailer é interrompido por um anúncio do gim Aviation – Reynolds tem uma participação acionária na bebida, que pertence ao grupo Davos Brands. No meio da confusão, a suposta diretora corta o ator, que admite ter comprado um espaço publicitário dentro do vídeo, que encerra com o áudio do comercial de gim.

Recapitulando: o vídeo, criado pela agência Adam & Eve DDB, de Nova York, é uma propaganda, com um trailer e mais um spot. Usar metalinguagem em comerciais está longe de ser uma novidade, mas tem se mostrado popular neste ano, principalmente nos EUA.

Acompanhe tudo sobre:estrategias-de-marketingGimmarketing-digitalNetflixSamsungTelevisãoTV 4KVídeos de marketing

Mais de Marketing

Cauã Reymond ativa sua conta do TikTok em parceria com marca de moda

Alexandre Peralta deixa a Africa Creative e reabre a agência Peralta

Louis Vuitton reúne os tenistas Roger Federer e Rafael Nadal nas montanhas da Itália

Samsung e Apple: o choque entre perfeição tecnológica e a imperfeição humana

Mais na Exame