Marketing

Restaurante dá 1% off para cada ano que Lula for condenado

Steakhouse em Manaus oferece descontos de acordo com resultado do julgamento do ex-presidente

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: restaurante faz promoção baseada em resultado do julgamento (Ricardo Moraes/Reuters)

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: restaurante faz promoção baseada em resultado do julgamento (Ricardo Moraes/Reuters)

Guilherme Dearo

Guilherme Dearo

Publicado em 24 de janeiro de 2018 às 12h19.

Grande parte do Brasil está com os olhos voltados para a cidade de Porto Alegre e aguarda o resultado do julgamento de Luiz Inácio Lula da Silva, em processo da Lava Jato coordenada pelo juiz Sérgio Moro.

Condenado por corrupção passiva e lavagem dinheiro no valor de R$ 2,2 milhões a 9 anos e 6 meses de prisão devido a acusação de ter aceitado um tríplex no Guarujá oferecido pela construtora OAS, o ex-presidente apela sua absolvição nesta quarta-feira (24) no Tribunal Regional Federal da 4ª Região da capital do Rio Grande do Sul.

O acontecimento, de intensa cobertura midiática e popular, é tido para muitos como o principal fato político do ano e é natural que até as marcas pegassem carona em um dos eventos mais comentados dos últimos tempos.

Polêmica, a audiência divide opiniões e aflora partidarismos, porém a filial de Manaus da Detroit Steakhouse parece não se importar com as reações e em sua exibição ao vivo da audiência promete descontos de acordo com os anos que o ex-presidente for condenado.

Postada no Facebook, a promoção fez sucesso e foi curtida 7,9 vezes na fanpage com nove mil seguidores. Confira abaixo a publicação:

Conteúdo publicado originalmente no site AdNews.

Acompanhe tudo sobre:CorrupçãoCrise políticaestrategias-de-marketingLuiz Inácio Lula da SilvaPolíticos brasileiros

Mais de Marketing

Cauã Reymond ativa sua conta do TikTok em parceria com marca de moda

Alexandre Peralta deixa a Africa Creative e reabre a agência Peralta

Louis Vuitton reúne os tenistas Roger Federer e Rafael Nadal nas montanhas da Itália

Samsung e Apple: o choque entre perfeição tecnológica e a imperfeição humana

Mais na Exame