Acompanhe:
seloMarketing

Lufthansa leva 42 suecos a mudarem seus nomes

Concurso da companhia levou suecos a mudarem seus nomes para Klaus-Heidi

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Avião da Lufthansa em um aeroporto de Berlim: companhia aérea é mais conhecida por atributos alemães como a confiança e uma clara falta de humor
 (Krisztian Bocsi/Bloomberg)

Avião da Lufthansa em um aeroporto de Berlim: companhia aérea é mais conhecida por atributos alemães como a confiança e uma clara falta de humor (Krisztian Bocsi/Bloomberg)

B
Benedikt Kammel

Publicado em 9 de janeiro de 2014 às, 16h38.

Berlim - O que há em um nome? Para Michael Eric Klaus-Heidi Andersson, oriundo da região rural da Suécia, a resposta é uma passagem aérea a Berlim, um apartamento mobiliado no distrito mais moderno da capital alemã e uma bicicleta para o transporte local.

Até recentemente, o nome do homem de 24 anos era Michael Eric Andersson, mas na primavera ele acrescentou legalmente Klaus-Heidi para ganhar um concurso organizado pela Deutsche Lufthansa AG. Ele foi escolhido entre 42 suecos – homens e mulheres de todos os cantos do país – que mudaram seus nomes para Klaus-Heidi. Andersson ganhou um apartamento sem aluguel por um ano no distrito de Neukölln, no sul de Berlim, com aulas de língua para melhorar seu alemão rudimentar e voos domésticos para explorar o país.

“Isso tudo é um pouco surreal, mas divertido”, disse Andersson em inglês ontem após chegar ao aeroporto Tegel de Berlim. De barba curta e com um olhar perplexo, ele foi cumprimentado por dois comissários de bordo da Lufthansa, um grupo de jornalistas e uma mulher dentro de uma cafeteira inflável gigante que promove um supermercado local.

O truque publicitário é incomum para uma companhia aérea mais conhecida por atributos alemães como a confiança e uma clara falta de humor. Também sustenta os esforços da Lufthansa para aumentar seu atrativo entre os viajantes jovens que escolhem linhas aéreas com descontos, como a Easyjet Plc e a Ryanair Holdings Plc, cujo franco presidente, Michael O’Leary, é o portador do estandarte do marketing de guerrilha há tempos.

Esquisito demais

A combinação de dois nomes alemães familiares, mas antiquados fornecida pela Lufthansa, visou aumentar o atrativo da campanha para homens e mulheres e dar-lhe uma volta irônica.

“Algumas pessoas disseram que seria esquisito demais e que não encaixaria em uma companhia como a Lufthansa, mas a campanha realmente acertou em cheio”, disse o porta-voz Wolfgang Weber. “A resposta do público foi tremenda”, disse Weber. O site do concurso recebeu 100.000 visitas nos primeiros dias.


Klaus-Heidi Andersson obterá vales-alimentação de 50 euros (US$ 68) por semana e acesso gratuito a museus por um ano. Os outros competidores receberam 60.000 milhas de viajantes frequentes, suficientes para um voo transatlântico de ida e volta.

Berlin está aproveitando o atrativo rústico dos seus cafés, butiques de designer e boates de vanguarda, os quais destilam uma atitude laissez-faire que é não associada tipicamente à Alemanha. Esse fenômeno converteu a capital em um quadro para as companhias que visam rejuvenescer a imagem. A Lufthansa enfeitou sua campanha Klaus-Heidi com um vídeo on-line instantâneo que promovia os encantos das noites em clubes desorganizados e cheios de pichações.

Detonação de rochas

Durante os próximos doze meses, a casa de Andersson será um apartamento de 70 metros quadrados com balcão, adornado com a parafernália característica dos hipsters de Berlim, como chãos de madeira de lei rija, móveis antigos de designer e obras de arte minimalista. A bicicleta de velocidade única possui o logo da Lufthansa e um rótulo que a declara “propriedade de Klaus-Heidi”. Para as frias noites de Berlim, ele conta com o pijama que a Lufthansa dá a seus passageiros de primeira classe.

Andersson, que trabalhou em bicos como a detonação de rochas e o jornalismo turístico, disse que ele se ensopará com a cultura de Berlim e que procurará emprego para conhecer a cidade, que ele visitou por última vez quando tinha 14 anos. Seu último contrato de emprego finalizou no ano passado, o que lhe abriu as portas para sua estada em Berlim.

Os suecos que desejem mudar seus nomes de batismo podem fazê-lo uma vez com um simples formulário que é enviado à secretaria de tributação. Requer-se que eles mantenham um dos nomes de batismo originais. A Lufthansa exigiu aos participantes que colocassem suas novas certidões de identidade no site dedicado ao assunto como prova da modificação.

“Agora, eu vejo Klaus-Heidi como parte do meu nome completo”, disse Andersson. “E definitivamente é um quebra-gelo”.

Últimas Notícias

Ver mais
Porto tem trimestre acima do consenso; Kakinoff quer manter ritmo de crescimento
Exame IN

Porto tem trimestre acima do consenso; Kakinoff quer manter ritmo de crescimento

Há 14 horas

Na WEG, a falácia da baixa rentabilidade fora do Brasil
Exame IN

Na WEG, a falácia da baixa rentabilidade fora do Brasil

Há 18 horas

CEO da Alliança renuncia e Isabella Tanure assume comando
Exame IN

CEO da Alliança renuncia e Isabella Tanure assume comando

Há 21 horas

No resultado histórico da BRF, efeito cíclico ou mudança estrutural?
Exame IN

No resultado histórico da BRF, efeito cíclico ou mudança estrutural?

Há 23 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais