Invest

Perfil investidor: Faça o teste e descubra o seu

Este é o primeiro passo para quem quer começar a fazer aportes; sem autoconhecimento, existe um risco grande de se frustrar com a performance

Com base nas respostas, o investidor será classificado como conservador, moderado ou arrojado. (skynesher/Getty Images)

Com base nas respostas, o investidor será classificado como conservador, moderado ou arrojado. (skynesher/Getty Images)

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 31 de maio de 2024 às 10h00.

Última atualização em 12 de junho de 2024 às 11h45.

Uma das primeiras recomendações de todo especialista em investimentos é que a decisão sobre quais produtos escolher só seja tomada depois de uma análise de perfil. No entanto, não é preciso se preocupar quando chega a hora de conhecer melhor suas características.

Os testes elaborados pelos agentes financeiros costumam ser muito objetivos. Mas cabe aqui uma ressalva. É preciso que as respostas reflitam exatamente quais são as condições e as expectativas do investidor.

Alguns podem até imaginar que, se é necessário fazer uma autoavaliação antes de investir, é porque existe um perfil melhor que o outro. Não é verdade.

Segundo informações da Nomad, fintech brasileira com o objetivo de facilitar o acesso dos brasileiros a uma vida financeira global, não existe um perfil de investidor melhor, já que cada pessoa tem as suas circunstâncias e objetivos financeiros únicos. Portanto, o melhor perfil é o que  se adequa às necessidades e tolerância ao risco de quem vai fazer uma aplicação.

O que é perfil do investidor?

O perfil do investidor – conservador, moderado e arrojado – vai influenciar nos tipos de ativo que vão compor a carteira. Sim, seja qual for o perfil, é importante seguir duas premissas – diversificação das classes de ativos, para reduzir os riscos, e sempre acompanhar os investimentos, com atenção ao desempenho das aplicações, para saber quando fazer os ajustes necessários.

Como investir de acordo com o perfil do investidor?

Conservador

Tem uma baixa tolerância ao risco e não prescinde da preservação do capital. Geralmente se identifica com a renda fixa, como Tesouro Direto, CDB, entre outros.

Moderado

Busca equilíbrio entre segurança e retorno. Entre as alternativas estão a renda variável, como ações de empresas com tradição no mercado.

Arrojado

Mira retornos expressivos, mesmo sob o risco de volatilidade e oscilações nos investimentos. Investimentos em ações, criptomoedas, entre outros, costumam ter mais afinidade com o perfil.

Evolução do perfil

Outra dúvida comum é se o perfil de hoje será o mesmo no futuro. Afinal, há alguma mudança ao longo do tempo? Sim, é comum que haja uma evolução, seja porque as circunstâncias financeiras se tornaram outras ou porque os objetivos mudaram.

Por exemplo, quem investe hoje pensando em formar uma reserva financeira vai se identificar com ativos diferentes quando se planejar para ter uma renda na aposentadoria. Por isso, é importante, de tempos em tempos, antes de pensar em rever a carteira de ativos, fazer um novo teste de perfil.

Um teste de perfil vai mostrar a tolerância ao risco, o horizonte e o conhecimento em relação aos investimentos e os objetivos financeiros. O resultado vai indicar se o investidor tem características para ser classificado como conservador, moderado ou arrojado.

Com base nas respostas, ele é classificado como conservador, moderado ou arrojado. Saber seu perfil é essencial para orientar as escolhas de investimento de forma alinhada com suas preferências e objetivos.

O que tem influência?

De acordo com a Nomad, há diferentes metodologias para identificar o perfil de investido. No geral, são considerados três fatores mais importantes. São eles:

- Tolerância ao risco: há investidores que preferem uma abordagem mais conservadora, ou seja, com a preservação do capital. Outros vão em outra direção e escolher assumir mais riscos de olho em oportunidades de retorno maior.

- Horizonte de investimento: é fundamental saber por quanto tempo se quer manter o dinheiro investido – curto, médio ou longo prazo. Quem planeja acumular patrimônio para ter um colchão financeiro na aposentadoria, por exemplo, vai poder ter décadas pela frente. Já quem pode usar os recursos para arcar com alguma emergência têm de focar no curto prazo.

- Objetivos financeiros: Por que o investimento está sendo feito? O que se pretende com aquele recurso? A aquisição de um imóvel, as despesas universitárias dos filhos? Uma especialização no exterior? Ou dinheiro para quando deixar o mercado de trabalho, no futuro? Estes são os questionamentos fundamentais para o investidor antes de decidir quais serão os ativos que mais têm a ver com o seu perfil.

O teste da Nomad

Na Nomad, é possível fazer o teste no site, sem nenhum custo. O questionário tem apenas sete perguntas.

  • Por quanto tempo você pensa em deixar seu dinheiro investido?
  • Em média, qual a sua renda mensal bruta?
  • Quanto dinheiro, em percentual você guarda da sua renda mensal?
  • Qual o seu conhecimento em investimentos?
  • Ao investir o seu dinheiro, com o que você mais se preocuparia?
  • Quais investimentos você tem atualmente?
  • Imagine que nos últimos três meses o mercado de ações perdeu 25% do seu valor e um dos seus investimentos também caiu 25%. O que você faria?

O resultado vai ser fundamental depois que a conta corrente for aberta, o que é necessário quando o objetivo é investir na plataforma. Basta acessar a área de “Investimentos” e responder algumas perguntas antes de começar a fazer as aplicações. Para fazer, acessea no link.

Acompanhe tudo sobre:Investir Nomadbranded-content

Mais de Invest

Apple ultrapassa Microsoft impulsionada por IA e se torna a empresa mais valiosa do mundo

PIS 2024: Caixa paga abono salarial para dois grupos em junho; veja como sacar

INSS antecipa novamente pagamento de aposentadoria para o RS

GameStop levanta US$ 2,14 bilhões em meio a rali de 'ações meme'

Mais na Exame