Invest
Apresentado por NOMAD

Você sabe a diferença entre comprar e investir em dólar?

Economista-chefe da Nomad explica o que interfere no sobe e desce da cotação da moeda, e como ela pode ser usada para proteger o investidor do risco cambial

Nas contas dolarizadas, além da praticidade, também é possível se tornar cliente de uma plataforma de investimentos e aplicar seus dólares em ativos de mercados internacionais. (Nomad/Divulgação)

Nas contas dolarizadas, além da praticidade, também é possível se tornar cliente de uma plataforma de investimentos e aplicar seus dólares em ativos de mercados internacionais. (Nomad/Divulgação)

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 6 de junho de 2024 às 10h00.

Última atualização em 12 de junho de 2024 às 15h43.

Tudo sobrebranded-content
Saiba mais

O que pode contribuir para a variação da cotação do dólar e como isso impacta os investimentos? Em primeiro lugar, é importante entender que a moeda americana tem valor e impacto mundial – o padrão dólar é utilizado globalmente para comércio e investimentos entre nações.
Diante da sua importância, muitos países mantêm suas reservas internacionais em dólar. Portanto, a valorização ou a desvalorização dessa moeda é um indicativo de como o mercado reage diante de diferentes situações.

Como o câmbio é negociado livremente no mercado, vários fatores influenciam a cotação do dólar, como taxa de juro, geopolítica, mudanças na economia global e até o turismo internacional.

“A atividade econômica nos principais países é um fator importante, pois impacta tanto a atratividade dos ativos do exterior quanto a demanda por produtos de exportação brasileiros. As taxas de juro também são muito importantes”, explica o economista-chefe da Nomad, Danilo Igliori.

A variação do câmbio também está fortemente relacionada à confiança dos investidores na situação macroeconômica e política de um país, incluindo a saúde das empresas e das finanças públicas, também chamadas de políticas fiscais. Em linhas gerais, a desconfiança em relação a essas variáveis pode levar à retirada de investimentos em cenários instáveis, e à substituição por mercados que apresentem mais solidez.

De forma resumida, trata-se de uma relação de oferta e demanda. Quando há fuga de capital estrangeiro, menos dólares circulam na economia, podendo afetar negócios e investimentos. Por outro lado, quanto mais dólares circulando, menos pressionado é o valor da moeda em relação ao real – e vice-versa.

A diferença entre comprar dólar e investir em dólar


Igliori, da Nomad, explica que é possível comprar dólar de duas maneiras: adquirindo o papel-moeda ou por meio de uma conta em dólar. “Nos dois casos os retornos estão atrelados apenas à variação cambial. Se o dólar ficar mais caro em relação ao real, o investidor terá um retorno positivo; do contrário o retorno será negativo.”

No caso do papel-moeda, existe a inconveniência de ter de guardar as notas. Nas contas dolarizadas, além da praticidade, também é possível se tornar cliente de uma plataforma de investimentos e aplicar seus dólares em ativos de mercados internacionais. Assim, além da variação cambial, existirão os retornos (e riscos) específicos dos ativos. “É possível investir em dólar em uma variedade enorme de títulos de renda fixa ou renda variável”, destaca Igliori.

O que o investidor iniciante precisa saber


Para o economista-chefe da Nomad, dois pontos são fundamentais. Primeiro, o entendimento de que o dólar é reconhecido como uma moeda forte devido à sua tendência de estabilidade nos médio e longo prazos, o que o torna uma opção muito visada para compor uma carteira de investimentos mais equilibrada.

Em segundo lugar, que é muito difícil antecipar flutuações de curto prazo da taxa de câmbio, por isso, apostar nesses movimentos pode ser bastante arriscado. “Na nossa visão pode ser bem mais seguro ir montando o seu patrimônio em dólares gradualmente formando um preço médio nas transações cambiais”.

Invista de forma dolarizada


Considerando todos os fatores que impactam a cotação do dólar, há um posicionamento de que uma das melhores estratégias para se proteger da volatilidade cambial é investir de maneira dolarizada.

Na Nomad, o cliente tem a facilidade de investir em ativos denominados em dólares – e transferir o dinheiro para a conta-corrente de forma rápida no caso de uma viagem ou compra internacional, por exemplo.

Além disso, ao adquirir dólares para investir, o cliente beneficia-se de uma alíquota de IOF reduzida de 0,38%, em comparação à taxa de 1,1% ao comprar dólares diretamente para a conta-corrente. Existem ainda outras vantagens, como:

Sem taxas: não há taxa de abertura de conta nem de manutenção
Corretagem zero: ordens ilimitadas sem pagar taxa de corretagem
Segurança: conta-investimento assegurada pelo SIPC em até US$ 500 mil, sendo US$ 250 mil em solicitações em dinheiro
Praticidade: com a Nomad, é possível investir de forma simples, ágil e direto pelo app a partir de US$ 1

O conteúdo disponibilizado aqui não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação ou oferta de ativos pela Nomad. Serviços intermediados por Global Investment Services DTVM Ltda.

Acompanhe tudo sobre:branded-contentInvestir Nomad

Mais de Invest

Veja o resultado da Quinta especial de São João; prêmio é de R$ 230 milhões

Cosan (CSAN3): entenda por que as ações da holding derreteram 34% em 2024

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 86 milhões

Meu sogro doou 'terras da fazenda' em vida e os irmãos dele não concordaram. E agora?

Mais na Exame