Acompanhe:
Apresentado por Empiricus
seloInvest

Mais uma semana feliz para os investidores de fundos imobiliários: o Ifix, principal índice que representa esses ativos na Bolsa, renovou sua máxima histórica na última sexta-feira (9). O indicador fechou em alta de 0,37% no pregão, alcançando os 3.352 pontos.

Tem sido um período de realizações para quem possui cotas de FIIs na carteira, com o Ifix renovando suas máximas desde o ano passado. Em todo o período de 2023, o índice registrou uma alta de 15,5% – ficando à frente do CDI, que cresceu 13%.

E em janeiro esse movimento se manteve. Enquanto o Ibovespa, que representa as ações da Bolsa, teve uma queda de -4,79%, os fundos imobiliários foram na contramão do mercado – receoso com a economia norte-americana – e registraram uma alta tímida de 0,67% no período. 

Mas a boa notícia é que ainda não é tarde para poder “entrar nessa festa”, na opinião de Caio Araujo, analista de fundos imobiliários da Empiricus Research, empresa do grupo BTG Pactual. 

Isso porque, para ele, os FIIs têm tudo para continuar se beneficiando profundamente do período de afrouxamento monetário. 

Vale lembrar que esse período de afrouxamento é marcado, principalmente, pelo ciclo de queda dos juros no país. Na reunião do Copom de janeiro, a Selic sofreu sua 5ª redução seguida, caindo para 11,25% ao ano. Mas esse movimento ainda está longe de acabar…

A previsão do último boletim Focus é de que a taxa básica de juros chegue aos 9% ao ano até o final de 2024, e até 8,5% em 2025. Ou seja: ainda tem muito espaço para os ativos de risco performarem bem

Isso porque, historicamente, existe uma tendência comprovada de bom desempenho para ativos de risco (como é o caso dos fundos imobiliários) em períodos de juros baixos.

E, para o analista, existe uma categoria de FIIs que tende a surfar melhor essa bonança do mercado: os fundos de tijolo. 

[GRATUITO] ACESSE A CARTEIRA COM 5 FUNDOS IMOBILIÁRIOS RECOMENDADOS PELO ANALISTA

Por que os fundos imobiliários de tijolo são a aposta do analista?

Os fundos imobiliários de tijolo investem em propriedades físicas já construídas e prontas para utilização. Com esse investimento, os FIIs buscam gerar renda por meio do aluguel gerado por essas propriedades, ou com a compra e venda dos imóveis da carteira.

E é nessa classe de fundos imobiliários que Caio Araujo está apostando para o cenário de redução dos juros em 2024. 

“Eles historicamente têm vantagem nesse cenário, pelo equity, conseguem gerar mais valor e, eventualmente, até readequar sua estrutura de capital e sua alavancagem. Eles são a nossa principal posição já tem algum tempo”, explica.

Além disso, o analista também destaca o movimento de retomada das captações dentro do mercado de FIIs, assim como o ritmo de compras, fusões e aquisições do setor imobiliário – e tudo isso ajuda na precificação dos fundos.

Não é à toa que, atualmente, o analista mantém três fundos imobiliários de tijolo na sua carteira que contém cinco FIIs recomendados para compra

ACESSE DE GRAÇA A CARTEIRA COM 5 FIIs RECOMENDADOS PARA COMPRA

Acesse a carteira que vem vencendo o Ifix

O analista Caio Araujo possui uma carteira recomendada com 5 fundos imobiliários que ele acredita serem os melhores para investimento na Bolsa brasileira.

Todo início de mês, ele atualiza essa lista para sempre conter aqueles ativos com maior potencial de geração de lucros por dois meios:

  • A valorização das cotas na bolsa;
  • E o pagamento regular de dividendos aos cotistas. 

E quem investe seguindo as recomendações do analista já teve a chance de lucrar muito: de novembro para cá, o portfólio já valorizou 6,40% – o correspondente a 113% do Ifix. 

Ou seja: quem seguiu as indicações de Caio à risca durante todo o período pôde obter um lucro 13% maior do que o que foi gerado pelos ativos que integram o Ifix, o principal benchmark dos FIIs, no mesmo período. 

Com a sua aposta atual nos fundos de tijolo, o analista mantém três deles em sua carteira recomendada. Um deles, inclusive, têm grande potencial, nas contas do analista:

  • É um FII com upside que pode chegar a 20,3% no valor da cota;
  • E que, nos próximos 12 meses, pode pagar até 7,6% em dividendos. 

Isso significa que, na prática, trata-se de um fundo imobiliário que pode render até 29,4%, se somados o potencial de valorização e de dividendos estimados pelo analista.

Mas essa é apenas uma das recomendações da carteira – e você pode ter acesso a todas elas gratuitamente.

O analista disponibiliza as suas indicações de graça para qualquer investidor que busque investir melhor, selecionando a dedo os FIIs que podem surfar com maestria o período de afrouxamento monetário reservado para 2024 no Brasil.

Para acessar a carteira completa, clique no botão abaixo e informe seu e-mail. Em poucos minutos, o relatório com 5 recomendações de fundos imobiliários estará disponível no seu celular ou computador sem você gastar um real:

QUERO CONHECER OS 5 FIIs QUE MELHOR PODEM SURFAR O CENÁRIO ATUAL

 

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Além do ChatGPT: veja 6 ferramentas de inteligência artificial para levar produtividade às alturas
seloCarreira

Além do ChatGPT: veja 6 ferramentas de inteligência artificial para levar produtividade às alturas

Há 21 horas

Fundo imobiliário, ações de uma varejista brasileira e mais 98 recomendações de investimentos
seloOnde Investir

Fundo imobiliário, ações de uma varejista brasileira e mais 98 recomendações de investimentos

Há um dia

Quanto ganham os CEOs? E como se tornar um? Responda 5 perguntas e veja se tem potencial para líder
seloCarreira

Quanto ganham os CEOs? E como se tornar um? Responda 5 perguntas e veja se tem potencial para líder

Há 2 dias

Escritório com propósito: veja a estratégia das empresas para equilibrar vida pessoal e profissional
seloCarreira

Escritório com propósito: veja a estratégia das empresas para equilibrar vida pessoal e profissional

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais