Cesta de produtos de festa junina está 29,65% mais cara neste ano

Entre os produtos, leite registrou alta de 30% no preço no período, segundo associação de supermercados
Comidas juninas: festa é conhecida por pratos com milho e bebidas como o quentão (TinaFields/Getty Images)
Comidas juninas: festa é conhecida por pratos com milho e bebidas como o quentão (TinaFields/Getty Images)
Por Fernanda BastosPublicado em 22/06/2022 15:56 | Última atualização em 22/06/2022 16:40Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Os produtos mais consumidos na época das festas de São João ficaram 29,65% mais caros nos últimos 12 meses, segundo estudo da Associação Paulista de Supermercados (APAS). O levantamento, feito em parceria com a Fipe, leva em consideração dados do Índice de Preços dos Supermercados (IPS).

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Um dos motivos da alta nos preços é a valorização das commodities agrícolas, por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia e as mudanças climáticas. Por esse motivo, em maio alguns alimentos tiveram redução de impostos na importação.

Peso da inflação sobre produtos

Os produtos sazonais como fubá e vinho, vinham sentindo o peso da inflação desde o início deste ano.

Veja abaixo o levantamento sobre os preços e variações para o período: 

O preço do leite subiu quase 30% desde o início do ano. Segundo a Apas, as mudanças no clima, como a estiagem de chuvas no sul do país, reduziu a qualidade dos pastos e silagens e elevou o custo da produção, segundo análise da Apas. Além disso, houve redução de oferta, o que fez o preço disparar para o consumidor final. 

O milho, uma das principais commodities dos produtos de festas juninas, subiu 72% nos últimos dois anos. Os produtos derivados de milho registraram alta de 5,01% apenas em maio e junho. Em março de 2021, a safra do milho custou R$ 99,69, valor mais alto em dois anos. 

Aumento nas vendas e procura por descontos

Apesar do aumento nos preços, as vendas deste ano deixam o setor de supermercados otimista por conta da retomada das confraternizações presenciais. 

Para que o consumidor possa driblar os efeitos inflacionários nos produtos queridinhos da estação é primordial estudar as variações dos preços oferecidos por diferentes supermercados e aproveitar os dias com descontos.