Invest
Patrocinado por BANCO PAN

Banco PAN se consolida como referência em sustentabilidade ao ingressar na carteira do ISE B3

Este é um importante reconhecimento da maturidade da gestão de governança, social e ambiental da empresa, que implementou de forma bem-sucedida diversas iniciativas focadas em ESG

 (Banco Pan/Divulgação)

(Banco Pan/Divulgação)

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 20 de março de 2023 às 09h00.

Última atualização em 26 de abril de 2024 às 14h20.

O Banco PAN foi nomeado como a segunda melhor Instituição Financeira da carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial da bolsa de valores oficial do Brasil, o ISE B3, um seleto grupo de 70 empresas reconhecidas pelo seu alto comprometimento com a sustentabilidade empresarial.

O que significa entrar no ISE B3?

O ingresso na nona colocação geral e segunda em Instituições Financeiras traz credibilidade internacional para o PAN e é reflexo do comprometimento da empresa com a agenda ESG.

“Implementamos processos, práticas e políticas para estruturar uma sólida governança para os temas de sustentabilidade. Passamos a olhar com mais atenção para nosso impacto no meio ambiente e promovemos iniciativas relacionadas a diversidade e inclusão. A entrada no ISE é mais um reconhecimento relevante dessa transformação”, comenta Rafael Lacerda, superintendente de relação com investidor e ESG do Banco PAN.

ESG: banco PAN criou uma área dedicada ao tema em 2020, com foco em mais governança e transparência (Banco Pan/Divulgação)

Um novo olhar

Essa jornada começou em 2020, quando foi criada no PAN uma área de ESG, com a missão de ampliar o impacto positivo dos produtos e negócios da instituição para seus clientes, colaboradores, acionistas, parceiros e comunidade em geral.

“O objetivo foi trazer governança e transparência para a temática, engajando colaboradores e parceiros numa trajetória de diagnóstico, mapeamento de iniciativas, priorização e efetiva adequação de nossas práticas às melhores do mercado”, conta Anabelle Urbano, gerente de ESG do Banco PAN. Para isso, o Banco dialogou com mais de 2 mil stakeholders, visando identificar os temas ambientais, sociais e econômicos prioritários para cada grupo.

Com base nessa análise, o próximo passo foi consolidar as ações já existentes dentro da companhia e, em seguida, instituir uma Comissão ESG, com reporte direto ao conselho de administração do PAN. No mesmo ano, para garantir transparência nos projetos priorizados, a companhia divulgou o primeiro Relatório Anual em padrão GRI, além de seu inventário de gases de efeito estufa (GEE). “O documento consolida nossos compromissos com o desenvolvimento sustentável de forma clara e objetiva”, destaca Rafael Lacerda, superintendente de relações com investidores e de ESG.

Diversidade e inclusão: PAN foi reconhecido como a quinta melhor Instituição Financeira para Trabalhar e a terceira para mulheres (Banco Pan/Divulgação)

Em 2021, o PAN deu mais um passo e aderiu à Rede Brasil do Pacto Global da ONU, tendo se comprometido oficialmente com a Agenda 2030 e com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. A partir daí, a empresa passou a acompanhar de perto os indicadores ESG, alcançando consistentemente suas metas.

As iniciativas de Diversidade e Inclusão proporcionadas de maneira afirmativa pela área de Pessoas geraram resultado prático. Depois de criar grupos de afinidade multidisciplinares, o foco foi implementar cerca de 90% de todas as iniciativas levadas à gestão. O PAN foi reconhecido pelo Instituto Ethos, tem as notas mais altas de Diversidade e Inclusão nas pesquisas de clima, foi certificado pelo Top Employers e reconhecido como GPTW, a quinta melhor Instituição Financeira para Trabalhar e a terceira para mulheres.

O PAN foi ainda a primeira instituição financeira a aderir aos Movimentos do Pacto Global da ONU a fim de estabelecer metas objetivas em temas relevantes. Além disso, o Banco também patrocina eventos focados no desenvolvimento e empregabilidade destes grupos e fornece benefícios diferenciados para seus colaboradores – como bolsa de estudo para grupos sub-representados, vagas afirmativas, licença familiar estendida, independentemente da configuração familiar, e auxílio tecnologias assistivas, no qual subsidia 85% do valor de equipamentos pessoais de acessibilidade aos colaboradores com deficiência.

Maturidade na gestão ambiental

No último ano, outras importantes conquistas consolidaram o PAN como uma das principais instituições financeiras sustentáveis no país. Além de se tornar ‘carbono neutro’, o PAN também se destacou ao responder pela primeira vez o Carbon Disclosure Project (CDP), a principal avaliação internacional sobre mudanças climáticas, que mede a capacidade das empresas de gerenciar o risco ambiental de forma estratégica e integrada ao negócio. “Tiramos nota B, a mais alta entre as instituições financeiras brasileiras em 2022, mesmo sendo a primeira vez que respondemos. Essa nota representa nosso compromisso com o tema dentro PAN, que hoje é discutido dentro dos mais altos órgãos de governança corporativa”, salienta Lacerda.

Ainda em 2022, a organização conquistou o Selo Ouro no Programa Brasileiro GHG Protocol, concedido às empresas que demonstram todos os critérios de transparência em suas emissões de gases causadores do efeito estufa. O PAN também divulgou as emissões de sua carteira de veículos financiados, tornando-se uma das primeiras instituições financeiras do Brasil a assumir um compromisso com suas externalidades climáticas.

Meio ambiente: em 2022, o banco PAN conquistou o Selo Ouro no Programa Brasileiro GHG Protocol, concedido às empresas que demonstram todos os critérios de transparência em suas emissões de gases causadores do efeito estufa (Banco Pan/Divulgação)

Dinamismo no desafio

Entre os próximos passos do PAN, uma das principais frentes de trabalho é a responsabilidade social. A instituição estabeleceu metas para entender mais profundamente o impacto real de seus produtos na vida das pessoas e, a partir desse estudo, ser uma ferramenta para que seus clientes consigam melhorar de vida sem cair no superendividamento.

“Nossa missão é facilitar a vida das pessoas com soluções criativas e inteligentes de serviços financeiros e consumo por meio de uma governança corporativa sólida, processos sustentáveis e um time engajado. Vamos continuar ampliando nossa atuação nas esferas ambiental e social, melhorando a experiência do cliente, consolidando um ambiente de referência em diversidade e inclusão, transparência e satisfação”, diz Camila Corá, diretora jurídica, de pessoas e ESG.

Para saber mais, acesse a página ESG do PAN.

Acompanhe tudo sobre:branded-contentPan-Organizar

Mais de Invest

Nvidia: mercado espera lucro 411% maior em resultado do 1º trimestre

Desenrola chega ao fim com queda de 8,7% na inadimplência entre a população mais vulnerável

IR 2024: Receita Federal libera maior lote da história nesta quinta-feira; veja quem recebe

Yduqs (YDUQ3) dispara 10% após divulgar projeções de crescimento em encontro com investidores

Mais na Exame