Após seis meses de alta, valor do seguro de carro se mantém estável no país

Estudo da TEx mostra que o índice geral dos seguros de carros se manteve em 6,6% no mês de agosto, primeiro período sem aumento dos últimos seis meses; em um ano, o índice subiu 34,7%
Carros: Índice de Preços do Seguro Automóvel (IPSA) é medido mensalmente pela startup de seguros TEx (Levi Bianco/Getty Images)
Carros: Índice de Preços do Seguro Automóvel (IPSA) é medido mensalmente pela startup de seguros TEx (Levi Bianco/Getty Images)
T
Thais Cancian

Publicado em 22/09/2022 às 12:13.

Última atualização em 28/09/2022 às 19:11.

Após seis meses de alta, valor do seguro de carro se mantém estável no país em agosto. É o que apontou o Índice de Preços do Seguro Automóvel (IPSA) divulgado pela  TEx, startup especializada em soluções digitais para o mercado de seguros.

De acordo com o estudo, o índice geral dos seguros de carros se manteve estável no mês de agosto, seguindo em 6,6%. Este é o primeiro período sem aumento dos últimos seis meses. Em comparação a um ano atrás, o índice subiu 34,7%. O IPSA é calculado com base no percentual que o seguro representa do valor do veículo. Se a taxa é de 4%, e o veículo custa R$ 50 mil, isso significa que o preço do seguro é de R$ 2 mil, por exemplo.

Para o gerente de inteligência de dados da TEx, Genildo Dantas, o IPSA já atingiu o seu pico de aumento e tende a cair nos próximos meses deste ano. “É possível dizer que já alcançamos o patamar de estabilidade para o Seguro Auto e tudo indica que os preços irão sofrer queda nos próximos meses. Aos poucos, o mercado automotivo está se reorganizando, e as seguradoras, se adequando ao cenário pós-pandemia”, comenta o executivo.

Em relação ao ranking dos carros mais cotados, o Chevrolet Onix segue na liderança, com um volume total de 6,4%, seguido pelo Hyundai HB20, com 4,6%. A lista dos dez carros mais cotados representa 32% do total de automóveis cotados no mês de agosto. Confira o Top 10 a seguir:

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

IPSA por gênero

Na análise do IPSA por gênero, houve uma mudança de comportamento nos últimos meses. Em agosto de 2021, o seguro para homens era 20% superior ao das mulheres. Já em agosto deste ano, a diferença diminuiu para 10%. “Parte dessa mudança é decorrente do aumento nos casos de roubo e furto, que é mais influenciado pela região e menos pelo gênero”, pontua Dantas.

Nos últimos meses, a TEx também identificou que as seguradoras estão sofisticando os modelos de precificação que reduzem diferenças entre gêneros e estado civil.

Rio de Janeiro

Especificamente, na cidade do Rio de Janeiro, o valor do seguro na zona norte é 71,4% superior ao da zona sul. Segundo Dantas, a região onde o segurado reside é um fator muito importante na precificação do seguro. “Interfere diretamente nas taxas de roubo e furto”, explica.

O IPSA é produzido com base nos dados do TEx Analytics, ferramenta de inteligência de mercado desenvolvida pela TEx, e é dividido em seis indicadores: IPSA, que mede a inflação geral e leva em consideração segurados de todo o país, IPSA por gênero, IPSA por faixa etária, IPSA por população, IPSA por idade do veículo, e IPSA por valor da tabela Fipe.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME por menos de R$ 11/mês