Quebra de banco paralelo na China aumenta temores e derruba bolsas asiáticas

Zhongzhi Enterprise Group teve pedido de falência aceito; crise de liquidez se arrastava, pelo menos, desde agosto

Zhongzhi Enterprise Group (CFOTO/Future Publishing/Getty Images)
Zhongzhi Enterprise Group (CFOTO/Future Publishing/Getty Images)

Publicado em 8 de janeiro de 2024 às 09h11.

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta segunda-feira, 8, com a piora do sentimento após um grande conglomerado financeiro chinês pedir falência.

Na semana passada, o Zhongzhi Enterprise Group, um "shadow bank" (banco paralelo) que fornecia empréstimos ao setor imobiliário chinês, teve pedido de falência e liquidação aceito por um tribunal de Pequim.

Os problemas no Zhongzhi vinham se arrastando, pelo menos, desde agosto, quando a Reuters informou que a companhia vinha passando por uma crise de liquidez. A Zhongzhi atua como um banco paralelo na China, entre as responsáveis por financiar o mercado imobiliário, em crise já há alguns anos no país.

Além disso, um grande executivo da subsidiária de veículos elétricos da problemática incorporadora China Evergrande foi preso sob suspeita de "crimes" não especificados. 

Bolsas em queda

Na China continental, o índice Xangai Composto teve queda de 1 42% hoje, a 2.887,54 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 1,88%, a 1.740,08 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 1,88% em Hong Kong, a 16.224,45 pontos, com tombo de 6% da China Evergrande New Energy Vehicle, e o sul-coreano Kospi cedeu 0,40% em Seul, a 2.567,82 pontos, mas o Taiex contrariou o viés negativo da região e subiu 0,31% em Taiwan, a 17.572,66 pontos

Acompanhe tudo sobre:ChinaBancos

Mais de Invest

Receita Federal libera consulta ao lote residual do IR; veja se você recebe

Stelleo Tolda: conheça mais sobre o CEO do Mercado Livre

Dólar volta a subir com tensões fiscais e expectativas nos mercados internacionais

Ibovespa opera em alta de olho em Campos Neto, “pauta-bomba” e desdobramentos de Petrobras (PETR4)

Mais na Exame