Invest

Nubank anuncia 296 demissões em reestruturação da área de operações

Cortes ocorrem em bom momento operacional para o banco, que apresentou três trimestres seguidos de lucro

Nubank: empresa demite quase 300 funcionários em processo de reestruturação (Nubank/Divulgação)

Nubank: empresa demite quase 300 funcionários em processo de reestruturação (Nubank/Divulgação)

Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Repórter de Invest

Publicado em 7 de junho de 2023 às 16h50.

Última atualização em 7 de junho de 2023 às 17h16.

O Nubank anunciou nesta quarta-feira, 7, que demitiu 296 pessoas em um movimento de reestruturação da área de operações. Em nota, o banco digital informou que as áreas de operações, antes divididas em unidades para cada produto, agora serão centralizadas. O Nubank possui cerca de 8 mil funcionários e vem de um bom momento operacional e de mercado, com as ações subindo 65% no ano – 30% só no mês passado.

“Após uma profunda análise de modelos e processos, foi identificada a necessidade de consolidar as equipes de produto em uma organização centralizada. Com o novo modelo, algumas funções e posições se tornaram redundantes”, diz a nota.

O ‘layoff’ é o maior anunciado pela empresa nos últimos meses. Em janeiro, o banco digital demitiu 40 funcionários e encerrou sua área de assessoria de investimentos, e houve relatos de outras demissões pontuais nos últimos meses. 

Novos cortes estão fora do radar, segundo o Nubank. “Neste momento, não estamos prevendo outras reestruturações. Em outras áreas, seguimos um ritmo normal de contratações e desligamentos de acordo com nossos planos de negócios e desempenho de funcionários”, informou o banco.

Cortes nas startups

Os cortes anunciados nesta quarta-feira vêm em um momento de “bonança” para o Nubank em meio a um cenário hostil para empresas de tecnologia e startups. Enquanto as fintechs viram secar as fontes de financiamento com taxas de juros altas no Brasil e nos Estados Unidos, o Nubank está em seu melhor momento operacional, apresentando lucro pelos últimos três trimestres consecutivos e competindo em valor de mercado com os gigantes do mercado bancário brasileiro.

Ao completar uma década de história, o CEO do Nubank, David Vélez, reforçou que o banco consegue se financiar sozinho e não depende mais do financiamento de venture capital (que abastece as startups).

O crescimento, no entanto, continua no radar, com foco na expansão da operação no México. Como parte da estratégia de crescimento no Brasil, na última semana o banco iniciou uma campanha inédita de marketing em parceria com o Jornal Nacional, da TV Globo.

Veja também

Acompanhe tudo sobre:NubankDemissões

Mais de Invest

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2739; prêmio acumulado é de R$ 58,9 milhões

Quanto rende R$ 1 bilhão na poupança? E em outros investimentos?

9 Dicas de finanças para ter mais dinheiro todo mês

ETFs de Small Caps: entenda o que são e como investir

Mais na Exame