Invest

Morgan Stanley diz que balanços não devem sustentar rali nos EUA

Não espere que esta temporada de balanços impulsione mais ganhos no mercado acionário dos EUA

Morgan Stanley: O estrategista disse esperar novos cortes nas projeções de lucros (Leandro Fonseca/Exame)

Morgan Stanley: O estrategista disse esperar novos cortes nas projeções de lucros (Leandro Fonseca/Exame)

Bloomberg
Bloomberg

Agência de notícias

Publicado em 10 de julho de 2023 às 11h18.

Não espere que esta temporada de balanços impulsione mais ganhos no mercado acionário dos EUA, de acordo com um coro crescente de estrategistas de Wall Street.

Michael Wilson, do Morgan Stanley, considerado um dos estrategistas mais cautelosos em relação à renda variável, é o último a alertar que as previsões das empresas serão mais importantes do que o normal desta vez, devido aos “valuations” elevados das ações, taxas de juros mais altas e liquidez cada vez menor.

“Com os resultados do segundo trimestre começando esta semana, o ‘melhor do que o temido’ provavelmente não vai mais funcionar”, escreveu Wilson em nota.

Novos cortes nas projeções de lucros

O estrategista — cuja visão pessimista para as ações ainda não se materializou este ano — disse esperar novos cortes nas projeções de lucros de analistas no segundo semestre do ano, “portanto, a chave para as ações virá do ‘guidance’ das companhias, e não dos próprios resultados.”

Os índices acionários dos EUA subiram no primeiro semestre de 2023 com lucros melhores do que o temido e expectativas de pico das taxas de juros, o que pegou a maioria dos estrategistas de Wall Street desprevenidos em suas projeções para o ano. Mas os rebaixamentos dos lucros estão mais frequentes, e investidores esperam cada vez mais um cenário instável para as bolsas no resto do ano. Há evidências iniciais disso em julho: o S&P 500 recuou na semana passada em meio a temores de um Federal Reserve mais favorável a um aperto monetário.

A mais recente pesquisa do blog de mercados MLIV da Bloomberg também revelou que os participantes esperam que alertas de lucro e juros mais altos provoquem novas quedas no S&P 500 nesta temporada de balanços, que começa com números de grandes bancos dos EUA na sexta-feira. No geral, analistas projetam que os lucros do segundo trimestre tenham caído quase 9%, o maior declínio anual desde 2020, de acordo com dados compilados pela Bloomberg Intelligence.

Enquanto isso, a equipe de estratégia de renda variável do Goldman Sachs espera que as empresas americanas fiquem dentro ou um pouco acima do nível inferior das expectativas para o segundo trimestre. No entanto, os estrategistas do Goldman veem as estimativas de analistas de uma recuperação nos lucros em 2024 como “muito otimistas”.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)bolsas-de-valoresMercado financeiroBolsa famíliaMorgan Stanley

Mais de Invest

Mega-Sena acumulada: quanto rendem R$ 86 milhões na poupança

Como investir na Nasdaq?

"Se Lula indicar nome pior que Galípolo para o BC, o mercado entrará em pânico", diz Marilia Fontes

Mesmo chamada de ‘perda fixa’ a renda fixa pode pagar até IPCA + 7,5%; veja 2 títulos

Mais na Exame