Invest

Minério de ferro desaba, Vale mantém CEO e o recorde do Bitcoin: 3 assuntos que movem o mercado

ADRs da Vale recuam, seguindo perdas do setor; Bitcoin vai a US$ 72.000 após aceno de regulador britânico

Estoque de minério de ferro em porto chinês (Jie Zhao/Corbis/Getty Images)

Estoque de minério de ferro em porto chinês (Jie Zhao/Corbis/Getty Images)

Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 11 de março de 2024 às 07h27.

As bolsas internacionais iniciaram esta segunda-feira, 11, em baixa, com investidores dando continuidade às vendas do fim da última semana. Na sexta-feira, 8, dados do mercado de trabalho americano saíram mistos, com os números do payroll revelando uma criação de empregos urbanos acima do esperado, enquanto a taxa de desemprego subiu mais que o previsto pelo mercado.

Neste início de semana, a grande expectativa é para os números do Índice de Preço ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês), que será divulgado nos Estados Unidos amanhã, 12. O indicador saiu acima das projeções nas últimas duas divulgações, mantendo o mercado mais cauteloso quanto ao início do ciclo de corte de juros nos Estados Unidos. No Brasil, onde o BC segue o ritmo de cortes de 0,5 ponto percentual por reunião, investidores aguardam pelo Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA), também previsto para esta terça-feira, 12.

Minério de ferro desaba

Mas até lá investidores ainda deverão reagir nesta segunda à queda do minério de ferro, que desabou 7% na China. A queda foi a mais forte desde meados de 2022 e tem como pano de fundo a piora de demanda do mercado chinês, maior consumidor de minério do mundo. De acordo com reportagem da Bloomberg, os níveis de estoques de minério em portos chineses estão no maior patamar do ano.

Vale mantém CEO

A desvalorização do minério de ferro provoca perdas em ações de todo o setor nesta manhã. Os papéis da Vale, com o segundo maior peso do Ibovespa, caem mais de 1% no pré-mercado americano, Como pano de fundo das negociações ainda está a decisão de manter o atual CEO Eduardo Bartolomeo, após um longo período de indefinição. Segundo fato relevante divulgado na noite de sexta, Bartolomeo irá apoiar o processo de transição para um nova liderança no início do próximo ano. O CEO ainda se manterá como consultor na empresa até o fim do ano que vem.

Bitcoin bate recorde

O Bitcoin bateu máxima histórica ao ser negociado pela primeira vez na casa dos US$ 72.000 dólares. A última pernada de alta da criptomoeda ocorre após o agente regulador do Reino Unido afirmar nesta segunda que não irá se opor ao desejo das bolsas de criar produtos relacionados ao Bitcoin. A declaração ocorre após a SEC, a comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos autorizar a BlackRock a montar o primeiro ETF de bitcoin à vista do mercado americano, impulsionando a demanda pela criptomoeda.

A expectativa pela queda de juros e pelo halving, que irá reduzir a produção do Bitcoin pela metade no segundo trimestre, também contribuem para a valorização da criptomoeda. O Bitcoin já subiu cerca de 70% desde o início do ano e de 250% desde o mesmo período do ano passado.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresBitcoinMinério de ferroVALE3Vale

Mais de Invest

Dinheiro esquecido: mais de R$ 8 bi estão disponíveis para devolução; veja como sacar

Quanto devo investir para ter uma aposentadoria de R$ 10 mil?

Quanto rende R$ 1 milhão a 110% do CDI?

É obrigatório contratar advogado para fazer um testamento?

Mais na Exame