Invest

Méliuz, Prio, Gol: as 10 maiores altas e baixas do Ibovespa em julho

Petroleiras e empresa ligadas à economia local foram os grandes destaques positivos do índice, que subiu 3% no mês

Painel de cotações da B3: Ibovespa avançou 3,3% em julho (Germano Lüders/Exame)

Painel de cotações da B3: Ibovespa avançou 3,3% em julho (Germano Lüders/Exame)

Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Repórter de Invest

Publicado em 31 de julho de 2023 às 18h51.

Última atualização em 1 de agosto de 2023 às 08h21.

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, subiu 3,3% em julho, em seu quarto mês consecutivo de ganhos.

Ainda que com um pouco mais de volatilidade, a bolsa acompanhou a tendência positiva de junho, com investidores na expectativa pelo início do ciclo de corte de juros na próxima reunião do Copom. 

As 10 maiores altas do Ibovespa em julho

A perspectiva de juros mais baixos deu força para ações mais ligadas à economia local. A startup de cashback Méliuz (CASH3) liderou os ganhos, subindo 27%. Os papéis começaram a disparada depois que o BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da EXAME) recomendou a compra das ações

O ponto-chave para a mudança seria a aproximação do  chamado “breakeven”, momento em que a companhia atinge um equilíbrio entre custos e receitas. “Se isso acontecer, o valuation [do Méliuz] se torna extremamente atraente”, escreveram os analistas.

 No setor de varejo, Carrefour (CRFB3) também registrou forte alta de 22,5% no mês. Outro grupo que subiu em bloco foi o das construtoras. MRV (MRVE3) subiu 20,1%, enquanto Cyrela (CYRE3) e Eztec (EZTC3) tiveram alta de 18%.

Destaque também para as petroleiras privadas Prio (PRIO3) e 3R (RRRP3), que dispararam na esteira da valorização do petróleo. A commodity avançou no acumulado do mês para seu melhor patamar desde abril. A alta acompanhou a expectativa de uma redução na oferta. A Arábia Saudita planeja manter os cortes em sua produção de 1 milhão de barris de petróleo por dia até setembro.

Ainda entre as commodities, houve alta também entre as ações ligadas ao minério de ferro. Com a expectativa de mais estímulos para a economia chinesa, os papéis do setor fecharam em alta. As representantes que mais subiram foram Gerdau (GGBR4) e Gerdau Metalúrgica (GOAU4), com altas de 16%.

As 10 maiores quedas do Ibovespa em julho

Na ponta negativa, a alta do petróleo que ajudou as petroleiras derrubou as aéreas Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4), que caíram 26,8% e 19%.

“A virada do petróleo para o positivo configura pressão adicional às companhias aéreas, que podem ter seus custos [de combustível] elevados. Também são ações voláteis, que tiveram forte alta nos meses anteriores e essa forte queda vem como um movimento de realização”, avaliou Bruna Sene, analista de investimentos da Nova Futura Investimentos.

No caso da Gol, a queda acompanhou a divulgação do balanço do segundo trimestre, que foi positivo mas não conseguiu animar os investidores.

“Preferimos estar expostos a companhias aéreas com balanços sólidos diante de um cenário macro ainda incerto e com poder de precificação em mercados mais saudáveis”, afirmaram, em relatório, os analistas do Goldman Sachs, que mantém recomendação neutra para a Gol.

Outro destaque de queda no mês foi a petroquímica Braskem (BRKM5), que recuou 8,8%. A companhia se encontra no meio de um imbróglio com o poder público. O motivo são danos causados a quatro bairros de Maceió, em Alagoas, pela extração de sal-gema, matéria-prima da produção de PVC. 

Veja também

Acompanhe tudo sobre:AçõesMéliuzGol Linhas Aéreas

Mais de Invest

Lucro da Nvidia cresce 628% e atinge US$ 14,88 bi no 1º trimestre fiscal de 2025

O país que superou os EUA em IPOs no 1º tri — e o que isso diz sobre o Brasil

9 Sites para ganhar dinheiro na internet

Como ganhar dinheiro com indicação? 10 apps "Indique e Ganhe"

Mais na Exame