Invest

Júnior, ex-Qualicorp: quem é o empresário que comprou a Amil?

Empresário volta ao mercado em que fez fortuna em transação de R$ 11 bilhões com o UHG

José Seripieri Júnior fundou a Qualicorp em 1997 e deixou o negócio em 2020 (Erdikocak/Getty Images)

José Seripieri Júnior fundou a Qualicorp em 1997 e deixou o negócio em 2020 (Erdikocak/Getty Images)

Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Repórter de Invest

Publicado em 26 de dezembro de 2023 às 12h33.

Última atualização em 26 de dezembro de 2023 às 12h34.

No último dia útil antes do Natal, uma notícia sacudiu os mercados: a esperada venda da Amil saiu do papel. José Seripieri Júnior, fundador da Qualicorp, fechou negócio com o United Health Group (UHG) por R$ 11 bilhões – R$ 2 bilhões em equity, mais a assunção de dívidas na casa dos R$ 9 bilhões. 

seripieri-junior-qualicorp-delação-lava-jato-qsaúde

Seripieri Filho, que é conhecido como Júnior (Reprodução/Reprodução)

Com uma carteira de mais de 5 milhões de beneficiários entre planos de saúde e dentais e mais de 31 hospitais e 28 clínicas médicas, o Bank of America (BofA) estima que os ativos valem ao todo R$ 10 bilhões e R$ 15 bilhões. 

Júnior superou as propostas Nelson Tanure, controlador da Alliança, de medicina diagnóstica, e da firma de private equity Bain Capital, conhecida pelo investimento na NotreDame Intermédica. O negócio, agora, segue para aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Quem é o empresário que comprou a Amil

Conhecido como Júnior, José Seripieri começou a carreira como escrivão da Polícia Civil em São Paulo e, já no campo da saúde, vendeu planos de saúde da Golden Cross. 

Em 1997, fundou a Qualicorp, seu negócio de maior sucesso. A empresa foi pioneira na estruturação dos planos de saúde coletivos por adesão no Brasil, vertente que ainda hoje segue entre as principais da companhia.

O empresário deixou a Qualicorp em 2020 e fundou a startup QSaúde, operadora de planos de saúde. Em março deste ano, a carteira de clientes da QSaúde foi vendida para a healthtech Alice. A compra da Amil anunciada na última semana marca o retorno de Júnior ao mercado em que fez fortuna.

Júnior é conhecido também por ser um dos empresários mais próximos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em novembro do ano passado, Lula foi à COP 27, no Egito, no jato privado de Júnior

Compra da Amil

Como adiantado pelo Exame IN, os últimos dias foram marcados por negociações intensas, com diversas trocas de propostas entre os interessados.

Nelson Tanure, controlador da Alliança, de medicina diagnóstica, e a firma de private equity Bain Capital, estavam entre as propostas contempladas pelo conselho de administração da UHG. No caso da Bain, a assunção dos passivos foi um dos pontos que fizeram a proposta não avançar. 

A venda encerra uma experiência malsucedida para a UHG no Brasil. O grupo americano, que fatura mais de US$ 210 bilhões globalmente, pagou US$ 4,9 bilhões pela Amil em 2012 (ou cerca de R$ 10 bilhões ao câmbio da época), no que foi considerada a grande tacada do fundador Edson Bueno, também fundador da Dasa. Sua família ficou com pouco mais de 1% das ações da UHG.

A UHG foi assessorada pelo BTG Pactual e pelo Lefosse Advogados.

Veja também

Acompanhe tudo sobre:AmilQualicorpFusões e Aquisições

Mais de Invest

Nvidia (NVDC24) dispara mais de 7% no pré-mercado após balanço do 1T24 surpreendente

IR 2024: Receita libera consulta ao maior lote da história; veja se você já recebe

Lucro da Nvidia cresce 628% e atinge US$ 14,88 bi no 1º trimestre

O país que superou os EUA em IPOs no 1º tri — e o que isso diz sobre o Brasil

Mais na Exame