Fundos hedge vendem ações tech e Goldman vê mudança estrutural

No geral, os fundos de hedge de ações dos EUA perderam 3% em média até agora em 2022
Os fundos de hedge continuaram a girar suas carteiras de crescimento para as chamadas ações de valor, como a Apple (Costfoto/Barcroft Media/Getty Images)
Os fundos de hedge continuaram a girar suas carteiras de crescimento para as chamadas ações de valor, como a Apple (Costfoto/Barcroft Media/Getty Images)
B
BloombergPublicado em 23/02/2022 às 16:11.

Os fundos de hedge dos EUA vêm reduzindo posições em ações de tecnologia e começaram 2022 mais inclinados para ações mais baratas do que em qualquer momento em mais de uma década, segundo o Goldman Sachs.

“Os registros mostram o posicionamento dos fundos de hedge para um ambiente de mercado de ações diferente daquele que caracterizou a maior parte dos últimos anos”, estrategistas liderados por Ben Snider escreveram em nota aos clientes. Fundos com US$ 2,6 trilhões em participações acionárias brutas reduziram posições em setores de crescimento mais caros em favor de energia e finanças, segundo a nota.

A análise pesquisou comunicados de 788 fundos de hedge até 15 de fevereiro. Isso mostra que, embora o chamado grupo “FAAMG” de gigantes de tecnologia do S&P 500, incluindo Apple e Microsoft, ainda figure em posições compradas mais populares, os fundos de hedge continuaram a girar suas carteiras de crescimento para as chamadas ações de valor.

O reposicionamento até 31 de dezembro - que viu os fundos de hedge se tornarem mais inclinados ao valor desde 2011 - se refletiu nos movimentos do mercado este ano. O índice S&P 500 sofreu correção na terça-feira, enquanto o Nasdaq 100, de tecnologia, recuou 15% este ano em meio a um tom cada vez mais hawkish do Federal Reserve à luz da inflação crescente.

No geral, os fundos de hedge de ações dos EUA perderam 3% em média até agora em 2022, de acordo com o Goldman.

Contribuindo para as perdas estava uma ‘lista VIP’ de 50 ações que aparecem com mais frequência entre as 10 principais participações de fundos de hedge, que ficou 21 pontos percentuais atrás do benchmark nos últimos 12 meses. Esse é o pior desempenho na história de 20 anos da cesta, que inclui Meta Platforms e Netflix.

Destacando a rotação de crescimento para valor, seis ações de tecnologia - incluindo a fabricante de chips Advanced Micro Devices e a empresa de pagamentos Block, - saíram da lista VIP neste trimestre, enquanto a empresa de gás Cheniere Energy e três empresas financeiras se juntaram à lista.

“As avaliações das ações de crescimento em queda acentuada, redução da alavancagem dos fundos de hedge, vendas no varejo, piora da liquidez do mercado de ações e baixo desempenho das posições compradas dos fundos de hedge criaram um ciclo vicioso”, disseram os estrategistas.