Acompanhe:

Fechada, NYSE planeja testar novo plano de contingência

A tempestade Sandy forçou o primeiro fechamento do mercado de ações por motivos climáticos em 27 anos


	Acionistas da NYSE
 (Spencer Platt/Getty Images)

Acionistas da NYSE (Spencer Platt/Getty Images)

S
Sakthi Prasad e John McCrank

30 de outubro de 2012, 08h07

A operadora da bolsa de valores NYSE Euronext disse que planeja testar um novo plano de contingência para ajudar a retomar a negociação de ações nos Esrados Unidos e acrescentou que a área onde acontece seu pregão físico ainda não foi danificada pelo Sandy, uma das maiores tempestades a atingir os Estados Unidos.

Os mercados de ações dos Estados Unidos ficarão fechados pelo segundo dia nesta terça-feira, à medida em que Wall Street volta sua atenção para a possibilidade do mercado voltar a funcionar no último dia do mês, nesta quarta-feira.

Quarta-feira é um dia importante de negociação por marcar o fim do mês, quando os traders avaliam seus portfólios.

O mercado de títulos também estará fechado nesta terça-feira, com os traders também pretendendo abrir na quarta-feira.

A tempestade Sandy forçou o primeiro fechamento do mercado de ações por motivos climáticos em 27 anos bem no meio da temporada de resultados, o que levou dezenas de empresas a adiar o anúncio de seus resultados trimestrais.

Se os escritórios da NYSE estiver indisponível na quarta-feira, a negociação dos ativos listados na NYSE será executada na bolsa Arca, afirmou a operadora em uma nota emitida a traders na segunda-feira.

A NYSE Arca oferecerá às empresas a possibilidade de testar leilões de abertura e fechamento na NYSE Arca na terça-feira, disse a bolsa.

Os escritórios da NYSE ficam a alguns metros acima das áreas de baixa Manhattan que foram esvaziadas.

O plano de contingência foi descrito como de precaução dada a imprevisibilidade da tempestade que inundou partes da cidade de Nova York.