Acompanhe:

Com mercados em queda, autoridades chinesas suspendem grande fundo quantitativo

Essa é a mais recente ação dos reguladores para intensificar a supervisão das negociações, enquanto buscam combater a turbulência no mercado chinês

Modo escuro

Continua após a publicidade
Ningbo Lingjun Investment Management Partnership: fundo de hedge quantitativo, foi proibido de negociar nas bolsas de valores de Shenzhen e Xangai (Chris McGrath/Getty Images)

Ningbo Lingjun Investment Management Partnership: fundo de hedge quantitativo, foi proibido de negociar nas bolsas de valores de Shenzhen e Xangai (Chris McGrath/Getty Images)

As duas principais bolsas de valores da China impuseram uma suspensão de três dias a um grande fundo quantitativo (isto é, cujos investimentos são guiados por algoritmos e análises quantitativas), segundo comunicado na última terça-feira, 20. Essa é a mais recente ação dos reguladores para intensificar a supervisão das negociações, enquanto buscam combater a turbulência no mercado chinês.

O fundo de hedge quantitativo, Ningbo Lingjun Investment Management Partnership, foi proibido de negociar nas bolsas de valores de Shenzhen e Xangai. Trata-se de uma  ação disciplinar após o fundo, que administra mais de US$ 8,34 bilhões, descarregar US$ 357,4 milhões em ações na bolsa de Shenzhen, em um comportamento de negociação considerado "anormal" pelos reguladores. 

No comunicado, as bolsas afirmaram que as contas de títulos do fundo geraram automaticamente negociações para um grande número de pedidos em um curto período de tempo, afetando a negociação normal nos índices.

Em um comunicado em seu site, a Lingjun Investment pediu desculpas pelo impacto negativo causado e disse que irá "resolutamente" cumprir a suspensão da negociação. A empresa acrescentou que as contas da Lingjun compraram um líquido de US$ 26 milhões em ações na segunda-feira.

Esta não é a primeira vez que o fundo é alvo de escrutínio. As bolsas de valores de Shenzhen e Xangai disseram que ele recebeu advertências no passado. 

As duas bolsas disseram que planejam intensificar a supervisão da negociação quantitativa. Isso envolverá a análise das regulamentações internacionais, que costumam ser mais rígidas. Shenzhen e Xangai também afirmaram que se comunicar mais com a Bolsa de Valores de Hong Kong para ampliar sua supervisão. 

O episódio ocorre em meio ao esforço dos reguladores na China para reviver os mercados de ações em declínio. Medidas recentes para restaurar a confiança dos investidores em ações locais em meio a uma desaceleração da economia doméstica incluem a suspensão do empréstimo de ações restrito, uma medida destinada a conter a venda a descoberto.

Os mercados chineses têm sido entre os piores desempenhos na Ásia até agora neste ano. O Índice Composto de Xangai está em baixa de 0,8%, enquanto o Índice Composto de Shenzhen perdeu 11%.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Biden quer triplicar tarifas sobre aço e alumínio chineses
Mundo

Biden quer triplicar tarifas sobre aço e alumínio chineses

Há 17 horas

Biden quer triplicar tarifas sobre aço e alumínio chineses
Economia

Biden quer triplicar tarifas sobre aço e alumínio chineses

Há 20 horas

Bolsas na Ásia voltam a cair e índice de referência "apaga" ganhos do ano
seloMercados

Bolsas na Ásia voltam a cair e índice de referência "apaga" ganhos do ano

Há 21 horas

Chefes da Defesa de EUA e China se reúnem pela primeira vez em 18 meses
Mundo

Chefes da Defesa de EUA e China se reúnem pela primeira vez em 18 meses

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais