Acompanhe:

CFO da Bed Bath & Beyond morre após cair de prédio em NY

Gustavo Arnal tinha 52 anos e havia chegado à empresa em 2020

Modo escuro

Continua após a publicidade
Companhia enfrenta momento delicado diante de acionistas (Bed Bath & Beyond/Exame)

Companhia enfrenta momento delicado diante de acionistas (Bed Bath & Beyond/Exame)

D
Da Redação

Publicado em 4 de setembro de 2022 às, 18h56.

Gustavo Arnal, CFO da varejista Bed, Bath & Beyond, morreu na última sexta-feira após cair de um prédio em Nova York, de acordo com informações publicadas neste domingo pelo NYTimes. O executivo tinha 52 anos e havia chegado à companhia em maio de 2020, como parte de um esforço de reestruturação da empresa.

De acordo com as informações do jornal norte-americano, o relatório da polícia de Nova York aponta a causa da morte como suicídio. Arnal foi encontrado perto de sua residência, um arranha-céu na Leonard Street conhecido como o "prédio Jenga" por causa de sua arquitetura. Ainda segundo as informações da polícia, o executivo "parecia sofrer de lesões indicativas de uma queda de um local muito alto".

Arnal chegou à Bed Bath & Beyond em 2020, como parte de um amplo esforço de reestruturação da companhia conduzido pelo então CEO, Mark Tritton. Antes de trabalhar na empresa ele havia exercido cargos semelhantes na Avon e na Procter & Gamble.

A companhia divulgou uma nota neste domingo em nome de todos os colaboradores, lamentando a morte do executivo. "Nosso foco é apoiar a família dele e sua equipe. Nossos pensamentos estão com eles durante este momento triste e difícil. Por favor, junte-se a nós para respeitar a privacidade da família", afirma Harriet Edelman, presidente do conselho de administração da Bed Bath & Beyond, no documento.

A empresa enfrenta um momento complicado diante de investidores, com vendas abaixo do esperado e aumento da dívida.  Na última semana, o então CFO fez uma reunião com investidores para mostrar um plano capaz de mudar esse cenário, que incluiria US$ 500 milhões em um novo financiamento, o fechamento de 150 lojas e cortes de pessoal, como aponta o FT.

Na reunião com investidores, a companhia mostrou que as vendas caíram 26% no segundo trimestre, em uma comparação anual. No ano, a estimativa de executivos era de uma queda de 20%, considerando as melhorias operacionais anunciadas.  As ações da Bed Bath & Beyond estão cotadas a US$ 8,63 com base no último fechamento, patamar distante dos US$ 30,06, a máxima do último ano.

Últimas Notícias

Ver mais
App Day: por que a Amazon vai dar descontos de até 50% só para quem comprar por celular
seloNegócios

App Day: por que a Amazon vai dar descontos de até 50% só para quem comprar por celular

Há um dia

Vendas no varejo nos EUA sobem 0,7% em março ante fevereiro
Economia

Vendas no varejo nos EUA sobem 0,7% em março ante fevereiro

Há 3 dias

Dados do varejo: vendas batem recorde em fevereiro, mostra IBGE
Economia

Dados do varejo: vendas batem recorde em fevereiro, mostra IBGE

Há uma semana

O que está por trás do sucesso dos marketplaces chineses
seloNegócios

O que está por trás do sucesso dos marketplaces chineses

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais