Acompanhe:

A Apple registrou lucro líquido de US$ 22,96 bilhões e lucro por ação (EPS, na sigla em inglês) de US$ 1,46 no quarto trimestre fiscal de 2023. O valor representa um crescimento de 13% em relação a igual período do ano anterior. O resultado vem acima da previsão de analistas consultados pela FactSet, que era de US$ 1,39.

A receita da empresa de tecnologia, porém, caiu 1%, a US$ 89,5 bilhões, nos três meses encerrados em setembro, comparado com o mesmo período de 2022. Esse é o quarto trimestre consecutivo de queda na receita.

O balanço da gigante de tecnologia também confirma um dividendo de US$ 0,24 por ação ordinária da empresa, a ser pago em 16 de novembro de 2023 aos acionistas.

Novos produtos

A Apple experimentou algo novo na útlima segunda-feira, 30. Seu tradicional evento para apresentar a linha de computadores foi transferido para o horário nobre da programação de TV americana, ocorrendo as 20h da costa leste, 21h do Brasil. A estratégia, sobretudo, lança a empresa como parte da cultura pop ecoloca a gigante da tecnologia em competição direta com programas populares como o Monday Night Football, nos EUA.

Chamado de "Scary fast" ("assustadoramente rápido", em português), no evento a empresa assumiu que os avanços dessa vez são focados no desempenho dos dispositivos. Foram apresentados novos MacBooks Pro, um novo iMac e os novos processadores M3.

Quanto custa o novo MacBook Pro?

Preços podem varias a depender da personalização:

Valor para o computador de 14 polegadas

  • M3: R$ 18.499
  • M3 Pro: R$ 22.999
  • M3 Max: R$ 34.999

Valor para o computador de 16 polegadas

  • M3 Pro: R$ 28.999
  • M3 Max: R$ 38.999

Queda nas vendas de smartphones

A empresa mais valiosa do mundo, com peso de 7,2% no índice S&P 500, enfrenta uma queda nas vendas de smartphones, e um de seus principais fornecedores está sob investigação na China. O balanço desta quinta-feira, 2, mostra queda nas receitas pelo quarto trimestre consecutivo, a maior sequência em mais de duas décadas.

Após a publicação dos resultados, a ação da Apple caía 0,73% no after hours de Nova York, às 17h45.

Meses de perdas

A ação da fabricante do iPhone mostrou o terceiro mês consecutivo de perdas, o que não acontecia desde meados do ano passado. A queda recente já eliminou cerca de R$ 460 bilhões do valor de mercado da empresa, que atingiu cerca de US$ 3,1 trilhões no final de julho.

“Se a qualidade dos resultados se deteriorar nas big techs — que têm sido um grande fator de apoio para as ações este ano — será uma esperança a menos para os otimistas se agarrarem”, disse em entrevista Ed Clissold, estrategista-chefe para EUA da Ned Davis Research.

A Apple é grande o suficiente para influenciar por si só os retornos do S&P 500, mas também pode afetar outros papéis. O S&P 500 e o Nasdaq 100 já caíram cerca de 10% em relação aos picos de julho.

Receita no final do ano será parecida

A Apple, que já enfrenta uma desaceleração na China, alertou que a receita no trimestre de fim de ano será aproximadamente a mesma do ano anterior, sinalizando que os investidores não verão o aumento de crescimento que estavam esperando. Embora a receita do iPhone deva aumentar no trimestre de dezembro, as vendas gerais serão semelhantes ao período do ano anterior, disse o diretor financeiro Luca Maestri em uma conferência na quinta-feira, 2, após o relatório trimestral da Apple.

Wall Street havia projetado um crescimento de receita de cerca de 5% no trimestre, que é invariavelmente o período de maior venda da Apple no ano, até por conta dos lançamentos. A receita do iPad e da categoria de acessórios da empresa, que inclui sua linha de relógios inteligentes, cairá significativamente durante o trimestre, informou a Apple.

A empresa tem tentado sair de sua mais longa desaceleração de vendas em décadas. Ela acabou de relatar seu quarto declínio consecutivo na receita, igualando uma sequência que sofreu em 2001, à medida que a empresa luta com um mercado de computadores lento e uma demanda instável na China.

Demanda instável na China

Os resultados sugerem que a Apple está enfrentando uma desaceleração maior na China do que o temido. O governo lá impôs proibições de tecnologia dos EUA em alguns locais de trabalho, e um novo telefone da Huawei está aquecendo a concorrência. A receita dessa região totalizou US$ 15,1 bilhões no último trimestre, ligeiramente abaixo do ano anterior e muito aquém dos US$ 17 bilhões que os analistas haviam previsto.

A empresa atualizou o iPhone, seu principal produto, durante o quarto trimestre. O período incluiu um pouco mais de uma semana de dados de vendas após o lançamento do dispositivo em 22 de setembro. A empresa com sede em Cupertino, Califórnia, também lançou novos modelos de relógio - o Series 9 e o Ultra 2 - e atualizou seus AirPods Pro para adicionar uma porta USB-C.

Mesmo com os desafios, o iPhone teve um desempenho ligeiramente melhor do que o previsto. Gerou US$ 43,8 bilhões em vendas, em comparação com uma estimativa média de US$ 43,7 bilhões. E o dispositivo atingiu um recorde de receita trimestral na China continental, disse o CEO Tim Cook durante a conferência com analistas. Os lucros chegaram a US$ 1,46 por ação no último trimestre, superando a previsão de US$ 1,39.

O iPhone representa aproximadamente metade das vendas da Apple, portanto, o lançamento de um novo modelo é observado de perto pelos investidores.

(Com Estadão Conteúdo e Bloomberg)

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Apple rejeita relatório sobre uso transparente da inteligência artificial
Tecnologia

Apple rejeita relatório sobre uso transparente da inteligência artificial

Há 9 horas

Apple desiste de carro elétrico, EUA revisa PIB e balanços: 3 assuntos que movem o mercado
seloMercados

Apple desiste de carro elétrico, EUA revisa PIB e balanços: 3 assuntos que movem o mercado

Há um dia

Apple desiste de fabricar carros elétricos após 10 anos de pesquisa
Tecnologia

Apple desiste de fabricar carros elétricos após 10 anos de pesquisa

Há um dia

Apple estuda adicionar câmeras em AirPods e desenvolver óculos e anel smart
Tecnologia

Apple estuda adicionar câmeras em AirPods e desenvolver óculos e anel smart

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais