Assembleia dos acionistas da BrMalls (BRML3) aprova fusão com Aliansce Sonae (ALSO3)

A fusão entre a BrMalls e a Aliansce Sonae vai criar um gigante do setor de shoppings centers na América Latina
 (Divulgação/Exame)
(Divulgação/Exame)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 08/06/2022 às 19:15.

Última atualização em 08/06/2022 às 19:16.

A Assembleia dos Acionistas da BrMalls (BRML3) aprovou nesta quarta-feira, 8, a fusão com a Aliansce Sonae (ALSO3).

A fusão entre a BrMalls e a Aliansce Sonae vai criar um gigante do setor de shoppings centers na América Latina.

A informação foi divulgada pela agência de notícias Broadcast.

A transação foi aprovada por 68% dos acionistas da empresa, contra apenas 11,2% que votou contra.

Era necessária a maioria simples para que a operação fosse aprovada.

A assembleia dos acionistas da Aliansce também deverá votar sobre o negócio. Entretanto, já que a proposta de fusão veio da Aliansce, esse voto parece ser uma mera formalidade.

Em seguida, a operação deverá ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Entenda a proposta de fusão entre BrMalls (BRML3) e Aliansce Sonae (ALSO3)

A fusão vai criar um gigante do setor, com 69 shoppings centers e R$ 38,5 bilhões em vendas. Um valor superior ao dobro dos principais concorrentes do mercado: Iguatemi e Multiplan.

A fusão prevê que os acionistas da BrMalls recebam R$ 1,25 bilhão em dinheiro e 326.339.911 ações da Aliansce Sonae.

Um valor que seria o equivalente a uma relação de troca de 0,3940 ações da Aliansce para cada ação da BrMalls.

Além disso, existem cláusulas para aceleração dos planos de stock options para a diretoria, além de outros benefícios outorgados nos planos de remuneração.

Os executivos da BrMalls terão direito a indenizações em caso de desligamento involuntário, sem justa causa, até 12 meses após o fim da fusão.

Negociação durou seis meses

As negociações para a fusão entre a Aliansce Sonae e a BrMalls duraram cerca de seis meses.

Essa foi a terceira proposta que a Aliansce Sonae fez para comprar a BrMalls.

A Aliansce já possuia 5,05% do capital da BrMalls, passando a deter 41,827 milhões de ações da companhia a partir do dia 18 fevereiro.

Em janeiro a Aliansce Sonae tinha proposto uma fusão de iguais”, com os acionistas de ambas as empresas tendo 50% do novo grupo e os acionistas da BrMalls recebendo R$ 1,35 bilhão em dinheiro para cobrir a diferença de valor de mercado entre ambas.

Entretanto, as propostas da Aliance Sonae foram sido rejeitadas consecutivamente pelo conselho de administração da BrMalls.

A administração da BrMalls alegou que os termos oferecidos eram insuficientes e subavaliavam o valor da companhia.