• AALR3 R$ 20,30 1.20
  • AAPL34 R$ 67,80 -3.00
  • ABCB4 R$ 17,34 4.39
  • ABEV3 R$ 14,09 -0.91
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,70 0.19
  • AGRO3 R$ 30,84 0.72
  • ALPA4 R$ 20,75 -0.91
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,60 0.76
  • AMAR3 R$ 2,43 3.40
  • AMBP3 R$ 30,44 -2.40
  • AMER3 R$ 23,07 0.52
  • AMZO34 R$ 67,36 -0.47
  • ANIM3 R$ 5,49 -0.90
  • ARZZ3 R$ 81,11 -0.90
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,24 0.05
  • B3SA3 R$ 11,79 2.08
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
  • AALR3 R$ 20,30 1.20
  • AAPL34 R$ 67,80 -3.00
  • ABCB4 R$ 17,34 4.39
  • ABEV3 R$ 14,09 -0.91
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,70 0.19
  • AGRO3 R$ 30,84 0.72
  • ALPA4 R$ 20,75 -0.91
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,60 0.76
  • AMAR3 R$ 2,43 3.40
  • AMBP3 R$ 30,44 -2.40
  • AMER3 R$ 23,07 0.52
  • AMZO34 R$ 67,36 -0.47
  • ANIM3 R$ 5,49 -0.90
  • ARZZ3 R$ 81,11 -0.90
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,24 0.05
  • B3SA3 R$ 11,79 2.08
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
Abra sua conta no BTG

14 fundos de investimento imobiliário recomendados pelo BTG para maio

Ajustes na carteira recomendada visam priorizar um fundo de recebíveis com perfil de risco high grade; veja qual é e confira todas as recomendações para o mês
 (Getty Images/Feodora Chiosea)
(Getty Images/Feodora Chiosea)
Por Isabel RochaPublicado em 02/05/2022 17:15 | Última atualização em 02/05/2022 17:28Tempo de Leitura: 3 min de leitura

BTG Pactual começou a semana divulgando sua carteira recomendada de fundos imobiliários para o mês de maio. Considerando uma maior aversão ao risco no cenário macroeconômico, os estrategistas do banco optaram por não realizar alterações nos ativos, mas sim em suas posições. O objetivo, com isso, é priorizar os fundos de recebíveis — que, de acordo com o relatório, têm apresentado uma performance mais consistente. “Os fundos imobiliários de recebíveis têm obtido maior sucesso neste período de maior incerteza quanto ao nível de inflação ainda pressionado e, consequentemente, com escalada das taxas de juros como forma de controle”, diz o documento.

Assim, a recomendação é de aumentar a posição em BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11) de 8,0% para 12,5%. Para acomodar a mudança, os especialistas indicam a redução das seguintes posições:

  • BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11) de 5,0% para 2,5%;
  • RBR Properties (RBRP11) de 6,0% para 5,0%;
  • Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) de 7,0% para 6,0%

“Continuamos gostando dos fundos de tijolo, especialmente pelo lado microeconômico que tem apresentado melhora efetiva na operação dos ativos, embora o cenário macroeconômico ainda seja uma vertente importante de precificação dos fundos. Assim, ainda temos privilegiado os fundos de recebíveis em nossas recomendações”.

Abra sua conta no BTG Pactual e tenha acesso aos relatórios do time de analistas do maior banco de investimentos da América Latina

No total, a carteira recomendada para o mês de maio é composta de 14 ativos, divididos entre recebíveis (53,0%), galpões logísticos (17,5%), lajes corporativas (17,0%), híbridos (5,0%), shoppings (5,0%) e agronegócio (2,5%).

Os ativos apresentam o dividend yield anualizado de 11% e o dividend yield para os próximos 12 meses é de 10,4%. Já as cotas dos fundos sugeridos negociam, na média, com desconto de 9% em relação a seus valores patrimoniais. Em termos de liquidez, a carteira possui o volume médio diário de negociação de aproximadamente R$ 3,4 milhões.

As recomendações do BTG Pactual para maio

 

Os fundos que compõem a carteira de fundos de investimento imobiliário do BTG em maio buscam proporcionar, além da diversificação setorial, a exposição a diferentes regiões do país. Segundo o relatório, que é assinado por Daniel Marinelli, Danilo Barbosa e Matheus Oliveira; a diversificação é a melhor estratégia para ficar exposto ao mercado imobiliário de forma resiliente em períodos de volatilidade e se beneficiar durante os momentos de retomada.

“Iniciamos nosso processo de escolha a partir de análise setorial macroeconômica, além da avaliação do portfólio do fundo em termos de: qualidade e localização dos ativos; microeconomia da região; perfil dos locatários/devedores; e análise dos contratos e garantias”, dizem.

Aumento da exposição ao BTG Pactual Crédito Imobiliário

A recomendação de aumentar a exposição ao BTCR11 é pautada em quatro pilares principais: carteira de crédito pulverizada; excelente gestão; garantias robustas e devedores com bom risco de crédito. Constituído em 2018, o fundo tem o objetivo de investir em ativos de renda fixa ligados ao setor imobiliário, preferencialmente através da aquisição de CRIs de devedores com excelente perfil de crédito e diversificados em seus setores de atuação. “É um fundo que busca adquirir papéis de empresas consolidadas, com foco no longo prazo e na preservação do capital investido”, diz o relatório — que também destaca o baixo risco de crédito e elevado nível de garantias do fundo. Veja, abaixo, quais são os demais ativos escolhidos pelos especialistas para o mês.

  • RBRR11 (12,5%)
  • BTCR11 (12,5%)
  • KNCR11 (17,5%)
  • FEXC11 (2,5%)
  • CPTS11 (8,0%)
  • VILG11 (7,5%)
  • BRCO11 (2,5%)
  • HSLG11 (7,5%)
  • RBRP11 (5,0%)
  • BRCR11 (6,0%)
  • RCRB11 (6,0%)
  • HGRE11 (5,0%)
  • VISC11 (5,0%)
  • BTRA11 (2,5%)

Abra sua conta no BTG e invista com o apoio do time de estrategistas do Maior Banco de Investimentos da América Latina