Inteligência Artificial

Lula diz que governo brasileiro prepara regulamentação de inteligência artificial

Presidente pretende apresentar plano na abertura da assembleia da ONU

Lula: governo atual enfrenta muitos desafios em diversos setores (Ricardo Stuckert / PR/Divulgação)

Lula: governo atual enfrenta muitos desafios em diversos setores (Ricardo Stuckert / PR/Divulgação)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 4 de abril de 2024 às 19h23.

Última atualização em 9 de abril de 2024 às 16h14.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, nesta quinta-feira, que o povo brasileiro não precisa de inteligência artificial (IA), mas que o governo lançará em junho um plano nacional de uso da tecnologia. A política, que visa avançar e regulamentar a IA, está em elaboração pelo Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT), vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia, e será apresentada em uma conferência.

Com receio de o Brasil ser visto como um país atrasado no assunto, Lula pretende apresentar o plano em setembro durante a abertura da Assembleia Geral da ONU.

"Eu digo sempre e não é presunção, que todo país do mundo pode precisar de inteligência artificial. Agora um país que tem um povo da qualidade do povo brasileiro, um povo que é capaz de contar piada da pior desgraça, que sofre com futebol, Carnaval (...) esse povo que consegue sobreviver ganhando muitas vezes um salário mínimo, não precisa de inteligência artificial porque é suficientemente inteligente para dar a resposta que nós precisamos", declarou o presidente em cerimônia em Goiana (PE).

No último mês, Lula chegou a se reunir com a ministra Luciana Santos e com o CCT para tratar sobre o plano para IA. O governo está preocupado com o potencial da tecnologia na disseminação de desinformação e que a automação possa levar a corte de empregos.

"Eu fiz o desafio. O Brasil não tem de ficar esperando ajuda dos Estados Unidos, ajuda da Rússia, da Alemanha, do Japão, da China ou ver eles se desenvolvendo mais do que nós em inteligência artificial", afirmou Lula.

Em março, o assunto foi tratado entre o presidente brasileiro e seu contraponto espanhol, Pedro Sánchez, durante encontro em Brasília. Segundo Lula, Sánchez propôs criar uma ferramenta de IA nas línguas portuguesa e espanhola:

"Achei genial. É possível criar, sentar os pensadores da Espanha e os nossos e imaginar coisas novas para não ficar a reboque dos acontecimentos de outros países", disse, na época.

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaInteligência artificialGoverno LulaONUexame-ceo

Mais de Inteligência Artificial

Alexa será atualizada com IA e Amazon vai cobrar taxa pela tecnologia, diz site

Os grandes destaques do Build 2024, o evento de novas tecnologias da Microsoft

Copilot da Microsoft tem função que cria funcionários artificiais para automatizar tarefas

Startup que criou aparelho para desbancar celular quer ser vendida por até US$ 1 bilhão

Mais na Exame