Inteligência Artificial

Desmistificando a IA: como ela está transformando negócios e carreiras

Percepção da IA como uma "mágica" complexa e inacessível está dando lugar à compreensão de que ela é, na verdade, uma aliada prática e aplicável no dia a dia

Miguel Fernandes, Chief AI Officer na EXAME

Miguel Fernandes, Chief AI Officer na EXAME

Miguel Fernandes
Miguel Fernandes

Chief Artificial Intelligence Officer da Exame

Publicado em 14 de junho de 2024 às 16h31.

Tudo sobreInteligência artificial
Saiba mais

Nas minhas recentes palestras para profissionais de setores bastante diversos — imobiliário, comunicação e empreendedorismo —, tenho testemunhado uma transformação poderosa: a desmistificação da inteligência artificial (IA). Cada vez mais, a percepção da IA como uma "mágica" complexa e inacessível está dando lugar à compreensão de que ela é, na verdade, uma aliada prática e aplicável no dia a dia de qualquer profissional ou empresa.

Essa mudança de mindset é impulsionada por demonstrações reais e concretas. Quando os participantes das minhas palestras veem a IA sendo utilizada ali mesmo, em tempo real, para otimizar processos, melhorar a comunicação e gerar inovação, a barreira da "inatingibilidade" cai por terra. Eles percebem que não é preciso ser um especialista em tecnologia para colher os frutos da IA. Basta estar aberto para aprender e aplicar.

Um dos grandes benefícios da IA é justamente essa democratização do acesso à tecnologia de ponta. Hoje, ferramentas outrora restritas a círculos especializados estão ao alcance de administradores, corretores, marketeiros, gestores de RH e tantos outros profissionais. Com a IA, eles ganham um novo canal de comunicação com as máquinas, que amplifica exponencialmente suas capacidades e abre novos horizontes de eficiência e inovação.

Outro ponto que impressiona é a abrangência da IA. Não consigo pensar em um setor ou área que não será profundamente impactado por essa tecnologia nos próximos anos. Da mesma forma que hoje é difícil imaginar nossas vidas e rotinas de trabalho sem computadores e internet, em breve a IA será tão integrada ao nosso cotidiano que nem lembraremos de como era viver e trabalhar sem ela.

Nas empresas, a adoção da IA deixará de ser um diferencial para se tornar um imperativo. Aquelas que abraçarem essa transformação digital terão ganhos expressivos em produtividade, assertividade e capacidade de inovar. Já quem demorar para embarcar nessa jornada correrá sérios riscos de perder competitividade e relevância no mercado.

Quanto aos profissionais, a IA não deve ser vista como uma ameaça, mas como uma oportunidade de evoluir e agregar ainda mais valor. Ao automatizar tarefas repetitivas e subsidiar decisões com dados, a IA libera tempo e recursos mentais para atividades mais estratégicas e criativas. O profissional do futuro será aquele que souber se aliar à tecnologia para entregar resultados melhores e mais consistentes.

Como Chief AI Officer na EXAME, meu papel tem sido justamente evangelizar essa mensagem e ajudar empresas e profissionais a navegarem essa transformação. E tenho saído das minhas palestras e interações cada vez mais otimista. Vejo uma nova geração de líderes e trabalhadores prontos para abraçar a IA e todas as suas possibilidades. E isso, mais do que qualquer aplicação específica, é o que realmente tem o poder de reinventar negócios, carreiras e a própria forma como trabalhamos e geramos valor.

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

Zuckerberg lança Llama 3.1 de graça; inteligência artificial é tida como uma das mais poderosas

General Motors reinicia operações de táxis autônomos da Cruise em três cidades dos EUA

Cohere, rival canadense da OpenAI, levanta US$ 500 milhões e atinge valorização de US$ 5,5 bilhões

Nvidia desenvolve chip antiembargo para China e em conformidade com controles de exportação dos EUA

Mais na Exame