Inteligência Artificial

Apple tem arma secreta para "romper limites" da IA em 2024

Após uma aquisição sem muitos alarde, a fabricante do iPhone da indícios de que se prepara para entrar no campo de batalha da IA

Apple: CEO Tim Cook prometeu que empresa "romperá com os limites" da IA  (Future Publishing/Getty Images)

Apple: CEO Tim Cook prometeu que empresa "romperá com os limites" da IA (Future Publishing/Getty Images)

Publicado em 15 de março de 2024 às 07h13.

A Apple adquiriu a startup canadense de inteligência artificial DarwinAI, segundo reportagem da Bloomberg da última quinta-feira, 14. O acordo, no entanto, foi feito sem alarde no início desde ano.

A aquisição discreta vem antes de um grande impulso de IA para a Apple este ano. A empresa está adicionando recursos ao seu software iOS 18 que dependem de IA generativa. 

O CEO Tim Cook prometeu que a Apple "romperá novos limites" com "um grande anúncio de IA" este ano, o que é esperado logo na conferência mundial de desenvolvedores da empresa em junho

Leia também: Suposta imagem do novo iPhone 16 vaza na internet; veja

Dezenas de funcionários da DarwinAI se juntaram à divisão de inteligência artificial da Apple, de acordo com fontes anônimas da Bloomberg. A startup já desenvolveu tecnologia de IA para inspecionar visualmente componentes durante o processo de fabricação e atende clientes em uma variedade de indústrias. 

Mas uma de suas principais tecnologias é tornar os sistemas de inteligência artificial menores e mais rápidos. Esse trabalho pode ser útil para a Apple, que está focada em executar IA em dispositivos, em vez de inteiramente na nuvem. 

Alexander Wong, um pesquisador de IA na Universidade de Waterloo que ajudou a construir o negócio, se juntou à Apple como diretor em seu grupo de IA como parte do acordo. 

Em resposta à Bloomberg, a Apple disse que "compra ocasionalmente empresas de tecnologia menores", mas não discute seus planos. 

Com sede em Waterloo, Ontário, a DarwinAI havia arrecadado mais de $15 milhões até 2022, de acordo com a comunidade de startups canadenses Communitech. Recebeu investimentos da Honeywell Ventures e Inovia Capital, entre outras empresas de capital de risco. 

A startup também trabalhou com empresas como Lockheed Martin e Intel, de acordo com a Communitech.

Apple e IA

Apesar de ter adquirido mais empresas de IA do que a maioria dos concorrentes na última década, a Apple ficou para trás no mercado de IA generativa, e foi pega desprevenida com o lançamento do ChatGPT da OpenAI em 2022, e empresas como Google e Microsoft Corp. roubaram a cena com novos recursos. 

Internamente, a Apple começou a integrar IA generativa em suas operações, usando a tecnologia para ajudar com solicitações de atendimento ao cliente. Também está planejando adicionar recursos ao seu software para criar automaticamente apresentações e completar blocos de texto.

Acompanhe tudo sobre:AppleInteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

OpenAI melhora processo de recrutamento por temer espiões chineses

A inteligência artificial consegue contar boas piadas? Pesquisadores fizeram o teste

Cofundador da OpenAI anuncia lançamento de nova empresa de IA

As ações nada óbvias que podem se beneficiar pelo boom da IA

Mais na Exame