Acompanhe:

Putin diz que Rússia continuará desenvolvendo seu potencial militar, inclusive o nuclear

"Continuaremos a manter e melhorar a preparação de combate da nossa tríade nuclear" (mísseis lançados de silos terrestres, de submarinos de navegação e de aeronaves aéreas), disse o presidente russo

Modo escuro

Continua após a publicidade
Vladimir Putin: o presidente russo também destacou o novo míssil de cruzeiro hipersônico Zircon (Contributor/Getty Images)

Vladimir Putin: o presidente russo também destacou o novo míssil de cruzeiro hipersônico Zircon (Contributor/Getty Images)

A
AFP

Publicado em 21 de dezembro de 2022 às, 12h25.

Última atualização em 21 de dezembro de 2022 às, 13h19.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta quarta-feira, 21, que continuará a desenvolver o potencial militar, incluindo a "preparação de combate" de suas forças nucleares, no contexto da ofensiva contra a Ucrânia e da crise com o Ocidente.

"As Forças Armadas e as capacidades de combate de nossas Forças Armadas aumentam constantemente a cada dia. E vamos desenvolver esse processo, é claro", disse Putin durante uma reunião com os principais comandantes do Exército.

"Continuaremos a manter e melhorar a preparação de combate da nossa tríade nuclear" (mísseis lançados de silos terrestres, de submarinos de navegação e de aeronaves aéreas), acrescentou.

O presidente russo também destacou o novo míssil de cruzeiro hipersônico Zircon, que as tropas russas poderão começar a usar no início do ano.

LEIA TAMBÉM: Putin chega a Belarus para se reunir com aliado Lukashenko após ataque contra Kiev

"No início de janeiro, a fragata 'Almirante Gorshkov' será equipada com o novo míssil Zircon, que não tem equivalente no mundo", disse Putin.

O conflito, iniciado há dez meses, é uma "tragédia compartilhada", nos termos do presidente, mas da qual a Rússia não é responsável.

"O que acontece é, claro, uma tragédia. Uma tragédia compartilhada. Mas não é o resultado da nossa política, é o resultado da política de terceiros países", afirmou.

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, disse que as tropas russas lutam na Ucrânia contra as "forças conjuntas do Ocidente".

Neste contexto, é "necessário" aumentar o efetivo do seu Exército para 1,5 milhão de soldados e aumentar o limite de idade para o serviço militar, disse o responsável.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Ele também anunciou que Moscou planeja estabelecer bases navais para apoiar sua frota em Mariupol e Berdiansk, duas cidades no Mar de Azov que a Rússia ocupa no sul da Ucrânia.

"Os portos de Berdyansk e Mariupol estão totalmente operacionais. Planejamos estabelecer bases lá para navios de apoio, serviços de resgate de emergência e unidades de reparo naval", afirmou.

LEIA TAMBÉM:

Últimas Notícias

Ver mais
Das menores às maiores: o desafio da diversidade nas empresas brasileiras – e na EXAME
geral

Das menores às maiores: o desafio da diversidade nas empresas brasileiras – e na EXAME

Há 5 meses

EXAME Pass: aprofunde o conhecimento sobre o que impacta o seu desenvolvimento por apenas 29,90
geral

EXAME Pass: aprofunde o conhecimento sobre o que impacta o seu desenvolvimento por apenas 29,90

Há 5 meses

Os 5 melhores filmes e séries para maratonar no fim de semana
Casual

Os 5 melhores filmes e séries para maratonar no fim de semana

Há 11 meses

Exportações de produtos do agronegócio registram US$ 9,9 bilhões em fevereiro
EXAME Agro

Exportações de produtos do agronegócio registram US$ 9,9 bilhões em fevereiro

Há 11 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais