Acompanhe:

Open banking ainda é desconhecido por 84% dos brasileiros, aponta pesquisa

Implementação do projeto do Banco Central já está em andamento, mas apenas 16% dos entrevistados em pesquisa indicarem algum conhecimento sobre o assunto

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (anyaberkut/Getty Images)

(anyaberkut/Getty Images)

G
Gabriel Rubinsteinn

Publicado em 23 de fevereiro de 2021 às, 11h15.

A implementação do open banking no Brasil já está em andamento, com o início da Fase 1 do projeto do Banco Central em 1º de fevereiro, mas a população ainda está longe de entender o que isso significa. Segundo pesquisa, apenas 16% dos brasileiros das classes C, D e E já ouviu falar em open banking.

A pesquisa "Percepções sobre Open Banking", conduzida pelo Banco Pan em parceria com o Instituto Plano CDE, ouviu 1.524 pessoas, sendo 1.007 com renda familiar de até 5 mil reais mensais — valor que equivale a renda média dos brasileiros. A margem de erro máxima da pesquisa é de 2,5%.

Apesar da falta de conhecimento sobre o assunto, a pesquisa mostrou também que o público mais jovem teve um entendimento rápido sobre o sistema quando explicado, e disse que autorizaria o compartilhamento de dados entre as instituições.

Por outro lado, o público com idade mais avançada se mostrou mais receoso e mostrou preocupação sobre eventuais taxas ou cobranças para a realização do compartilhamento de informações. Nesse grupo, o levantamento mostrou que existem dúvidas sobre o open banking ser uma empresa, aplicativo, plataforma, ferramenta ou até um banco, e não um sistema.

"A população ainda conhece pouco sobre o tema, mas quando o conceito é bem comunicado, já consegue perceber as vantagens que o Open Banking trará para sua vida financeira em termos de praticidade, autonomia e poder de escolha", explicou Luiz Krempel, superintendente do Banco Pan para Open Banking.

A pesquisa também mostrou que existe certa confusão em relação ao que é o open banking. Apesar de, após serem expostos a uma explicação, 49% dos entrevistados afirmarem que o sistema "funciona como uma portabilidade entre os bancos", muitos associam a novidade ao Pix, pelo fato de o sistema de pagamentos instantâneos também está vinculado a termos como "trnasação" e "transferência".

Quando a ideia de compartilhamento de dados é associada a benefícios para o consumidor, 60% dos entrevistados dizem aprovar o open banking. Para 64%, eles estão dispostos a compartilhar seus dados "se tiverem a possibilidade de melhores oportunidades de empréstimo e crédito", enquanto 60% responderam que fariam o compartilhamento "se isso ajudasse a conseguir um produto ou serviço melhor".

O que é o open banking

Por meio do open banking, os clientes terão o poder sobre as informações levantadas pelas instituições financeiras, como dados cadastrais e histórico de transações. De posse desses dados, os clientes poderão procurar outros bancos e incentivar a competição por serviços e crédito mais barato e de melhor qualidade.

A primeira fase do programa começaria a vigorar no fim de novembro, mas foi adiada para o início de fevereiro a pedido das instituições financeiras.

O cronograma de implementação do open banking tem quatro etapas. A segunda fase começa em 15 de julho, a terceira em 30 de agosto e a quarta e última fase em 15 de dezembro. Na etapa final, as instituições financeiras poderão trocar informações entre si para oferecer produtos personalizados a cada cliente.

Consultor do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do BC, Mardilson Fernandes Queiroz afirmou que o open banking mudará a lógica de funcionamento do sistema financeiro. Ele enumerou três vantagens do novo sistema, como a oferta de produtos com juros mais adequados a cada cliente, o aumento da concorrência e a inclusão de brasileiros no sistema bancário.

O open banking vai dar aos clientes das instituições financeiras do Brasil o controle sobre seus dados cadastrais e de transações. Isso tem como objetivo fomentar a concorrência e o acesso a serviços financeiros — atualmente, apenas os bancos e instituições nos quais o consumidor possui conta têm acesso a tais informações.

Caso o consumidor opte pelo compartilhamento dos seus dados — o que será opcional, gratuito e reversível —, ele poderá ter acesso a produtos e serviços de bancos e instituições financeiras das quais não é cliente e aos quais, consequentemente, não tem acesso atualmente.

Últimas Notícias

Ver mais
Open banking agora será open finance, declara BC
PIX e open banking

Open banking agora será open finance, declara BC

Há um ano

BC adia para setembro de 2022 funcionamento completo do open banking
seloMinhas Finanças

BC adia para setembro de 2022 funcionamento completo do open banking

Há 2 anos

Pix ganha prêmio internacional de inovação em meios de pagamento
PIX e open banking

Pix ganha prêmio internacional de inovação em meios de pagamento

Há 2 anos

Seis meses de Pix: como avançamos e quais são os próximos passos?
PIX e open banking

Seis meses de Pix: como avançamos e quais são os próximos passos?

Há 2 anos

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais