Future of Money
Acompanhe:

Microsoft lidera investimento de R$ 150 mi em estúdio para criação de NFTs

O gigante da tecnologia pensa que a arte tokenizada ainda fará sucesso por um bom tempo e aposta na empresa que já fez NFTs para DC Comics e o filme “Space Jam: um novo legado”

Griffin Gaming Partners, RRE, Third Kind Venture Capital, Sfermion, Investment DAO, The LAO e a Warner Brothers também participaram da rodada (Jeenah Moon/Getty Images)

Griffin Gaming Partners, RRE, Third Kind Venture Capital, Sfermion, Investment DAO, The LAO e a Warner Brothers também participaram da rodada (Jeenah Moon/Getty Images)

C
Coindesk

9 de dezembro de 2021, 17h32

O braço de venture capital da Microsoft, a M12, está liderando uma rodada de investimentos de 27 milhões de dólares (150 milhões de reais) na startup Palm, que desenvolve tokens não fungíveis (NFTs).

O valor será utilizado principalmente, segundo a própria empresa, para "aumentar as operações da companhia com uma série de contratações".

A Palm ajuda empresas e marcas a criar e desenvolver projetos que utilizam NFTs, que são emitidos pela startup na rede Ethereum. É exatamente o tipo de serviço em blockchain que a Microsoft e seu fundo de capital de risco vê potencial, no nível das finanças.

“Estamos focados em empresas de B2B ainda em estágios iniciais”, afirmou o diretor executivo da M12, Matt Goldstein. “Quando nós olhamos o canal de vendas da Palm, vemos marcas da mídia e de conteúdo. E esses são os relacionamentos que pensamos estar na melhor posição para ajudar e apoiar a relação com a Microsoft”.

Griffin Gaming Partners, RRE, Third Kind Venture Capital, Sfermion, Investment DAO, The LAO e a Warner Brothers também participaram da rodada, demonstrando as curiosas conexões geradas pelo hype dos NFTs, que já dura mais de um ano.

A Palm já colaborou com grandes nomes, incluindo a coleção de NFTs do filme Space Jam: Um novo legado e do evento da DC Comics DC Fandome 2021.

Enquanto o momento atual dos NFTs valoriza a raridade e exclusividade, Dan Heyman, CEO da Palm, enxerga o valor dos NFTs como uma forma para que as marcas construam senso de comunidade dentro de suas audiências.

“Dentro de três anos, a maioria dos NFTs será gratuita”, afirmou Heyman em um comunicado de imprensa. “Nós veremos uma mudança e os NFTs deixarão de ser colecionáveis exclusivos e se tornarão uma ferramenta para o engajamento em massa das comunidades, e a Palm NFT Studio está na liderança dessa evolução”.