McDonald's da China distribuirá NFTs em comemoração ao seu 31º aniversário

Os 188 NFTs do "Big Mac Rubik's Cube" serão distribuídos aos funcionários e clientes chineses do McDonald's através de um sorteio para comemorar aniversário e inauguração de nova sede na China

A cadeia gigante de fast-food McDonald's lançou uma coleção de 188 tokens não fungíveis (NFTs) em 8 de outubro para comemorar seu 31º aniversário no mercado chinês. Com a marca "Big Mac Rubik's Cube", os NFTs serão distribuídos entre funcionários e consumidores através de sorteio.

Os NFTs do Big Mac Rubik's Cube são projetados com base na estrutura tridimensional da nova sede do McDonald's China, que foi inaugurada junto com o lançamento dos NFTs.

Os NFTs são construídos no blockchain público Conflux e foram criados em parceria com a Cocafe, uma agência de criação de ativos digitais - garantindo que “cada trabalho é único, indivisível e não pode ser adulterado”.

@McDonalds lança o cubo #bigmac Rubik #NFT colecionável na #CONFLUX em um exemplo definitivo do encontro do leste com o oeste. #nftcollector

Também é importante observar que a participação majoritária do McDonald’s na China é propriedade do CITIC Group, uma empresa de investimento estatal da própria República Popular da China.

O McDonald's chinês não respondeu imediatamente ao pedido de comentários sobre o lançamento da coleção.

O lançamento de uma coleção de NFTs pelo McDonald’s da China aparentemente vai contra a intenção das autoridades locais de proibir completamente todas as operações com criptomoedas no país. Recentemente, a proibição forçou a Bitmain, uma fabricante de equipamentos de mineração de criptomoedas, a interromper a comercialização de plataformas de mineração Antminer na China.

Huobi, uma corretora de criptomoedas chinesa, interrompeu o registro de novos clientes após a proibição da China e encerrará todos os seus negócios no país até o final do ano. Apesar da resistência da China, o ecossistema cripto global continua a testemunhar um crescimento consistente. Um relato do Cointelegraph mostra que a dificuldade de mineração do bitcoin se recuperou totalmente depois que os mineradores chineses migraram para jurisdições mais seguras.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também