Acompanhe:

O CEO da Meta, Mark Zuckerberg, reforçou nesta semana que a dona do Facebook, WhatsApp e Instagram vai manter o seu comprometimento com o desenvolvimento de tecnologias para viabilizar um metaverso próprio da empresa. O executivo falou sobre o tema durante a teleconferência de resultados da empresa.

Apesar da Meta ter superado as expectativas do mercado e apresentado uma receita trimestral de US$ 32 bilhões, a companhia segue tendo prejuízo com o metaverso. A Reality Labs, braço da empresa focado na área, registrou um prejuízo de US$ 3,74 bilhões no segundo trimestre de 2023.

Além disso, a receita da Reality Labs no período foi de US$ 276 milhões, a menor me dois anos e uma queda de 40% em relação ao segundo trimestre de 2022. Na teleconferência de apresentação dos resultados, a executiva financeira da Meta, Susan Li, disse que a queda na receita da Reality Labs foi causada pela redução nas vendas do óculos de realidade virtual Quest 2.

A projeção da empresa é que o prejuízo operacional da Reality Labs ainda aumente nos próximos trimestres de 2023 devido aos altos investimentos necessários para desenvolver os projetos e tecnologias associados ao metaverso. Entretanto, a empresa ressaltou que segue comprometida com a área.

  • Para você que adora ler notícias de crypto, a Mynt é o aplicativo ideal para você. Invista e aprenda sobre crypto ao mesmo tempo com conteúdos descomplicados para todos os públicos. Clique aqui para abrir sua conta.

Metaverso está morto?

"Nossos investimentos em inteligência artificial continuam. Também continuamos totalmente comprometidos com a visão do metaverso. Temos trabalhado nessas duas grandes prioridades há muitos anos em paralelo e, de muitas maneiras, as duas áreas se sobrepõem e se complementam", afirmou Zuckerberg.

Ele destacou que os planos da empresa para a área representam "um horizonte ambicioso de longo prazo, um roteiro multifacetado. Existem muitos componentes no portfólio da Reality Labs em VR, AR, metaverso, plataformas sociais, interfaces neurais, e realmente temos um horizonte de longo prazo para avaliar o retorno de nossos investimentos".

"Não posso garantir que estarei certo sobre esta aposta. Eu acho que esta é a direção que o mundo está indo", pontuou o CEO da Meta. Apesar de ter sido um dos assuntos mais discutidos no mundo da tecnologia em 2022, a popularidade do metaverso caiu desde então.

Alguns especialistas apontam que o metaverso estaria "morto", mas outros destacam que a área ainda possui potencial e precisa de tempo para melhorar sua tecnologia, reduzir custos e se tornar mais acessível para a população em geral.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Meta, dona do Facebook, terá de trocar nome no Brasil; entenda motivo
Tecnologia

Meta, dona do Facebook, terá de trocar nome no Brasil; entenda motivo

Há um dia

Encontro com presidente, LG e startups: o que Zuckerberg foi fazer na Coreia do Sul
Tecnologia

Encontro com presidente, LG e startups: o que Zuckerberg foi fazer na Coreia do Sul

Há 2 dias

Uso do metaverso no setor de saúde deve movimentar R$ 2,5 trilhões até 2033
Future of Money

Uso do metaverso no setor de saúde deve movimentar R$ 2,5 trilhões até 2033

Há 5 dias

Combinadas, as 'Sete Magníficas' formariam a 2ª maior bolsa de valores de mundo
seloMercados

Combinadas, as 'Sete Magníficas' formariam a 2ª maior bolsa de valores de mundo

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais