Future of Money

JPMorgan diz que bitcoin está “sobrecomprado” e provavelmente vai cair após o halving

Analistas do gigante bancário acreditam que o bitcoin está “sobrecomprado” e pode cair com vendas por parte de mineradores após o halving

JP Morgan (Mike Kemp/Getty Images)

JP Morgan (Mike Kemp/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 19 de abril de 2024 às 19h14.

Última atualização em 22 de abril de 2024 às 14h44.

Tudo sobreBitcoin
Saiba mais

Dentro de poucas horas, o halving do bitcoin irá acontecer. O evento que corta a emissão da criptomoeda pela metade foi responsável por acelerar os ânimos de investidores e especialistas do setor com expectativas de novas altas no preço do bitcoin. No entanto, analistas do JPMorgan acreditam que o preço da maior criptomoeda do mundo pode cair logo após o halving.

Uma análise divulgada pelo gigante bancário mostrou que o bitcoin ainda é considerado “sobrecomprado” por seus especialistas, que enxergam uma possível desvantagem para a criptomoeda após o halving. Eles tiraram essa conclusão através da análise de contratos futuros em aberto de bitcoin.

  • O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

O que é o halving?

O halving corta a emissão do bitcoin pela metade uma vez a cada quatro anos e faz parte da escassez programada da criptomoeda. Anteriormente, o bitcoin atingiu novas máximas de preço após o evento, mas especialistas do Goldman Sachs alertam para que investidores não se apeguem a isso desta vez.

Por que o bitcoin pode cair após o halving?

O JPMorgan argumenta que o preço do bitcoin em mais de US$ 61 mil ainda está acima da comparação ajustada pela volatilidade do banco com o ouro, que o fixa em US$ 45 mil, e seu custo de produção projetado de US$ 42 mil após o halving.

Depois do Goldman Sachs e do BTG Pactual terem citado as diferenças entre o cenário macroeconômico de halvings anteriores a este, o JPMorgan agora também cita que o financiamento de venture capital permanece moderado no setor cripto, apesar do otimismo recente.

De acordo com o gigante bancário, o maior impacto do halving será sentido pelas empresas de mineração.

“À medida que os mineradores de bitcoin não lucrativos saem da rede bitcoin, prevemos uma queda significativa no hashrate e na consolidação entre os mineradores de bitcoin com uma participação mais alta para mineradores de bitcoin listados publicamente”, escreveram os analistas liderados por Nikolaos Panigirtzoglou.

“Após o evento de redução pela metade, também é provável que algumas empresas de mineração de bitcoin procurem diversificar em regiões de baixo custo de energia, como a América Latina ou a África, para implantar suas plataformas de mineração ineficientes para obter valores residuais daquelas plataformas que, de outra forma, ficariam ociosas”, acrescentou o relatório.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:JPMorganCriptomoedasCriptoativosBitcoin

Mais de Future of Money

Por que as marcas não podem ignorar o blockchain: a transformação da interação com o consumidor

A solução para as barreiras de liquidez global nos investimentos

Investidores institucionais não acreditam em alta do bitcoin no curto prazo, aponta relatório

Dolce & Gabbana é processada nos EUA após problemas em coleção de NFTs

Mais na Exame