Future of Money
Acompanhe:

Instagram vai permitir negociações de NFTs usando o blockchain Polygon

Funcionalidade será disponibilizada primeiro nos Estados Unidos para testes com criadores antes de expansão para outros países

Suporte para NFTs em vídeo também será adicionado para o Instagram (Lorenzo Di Cola/Getty Images)

Suporte para NFTs em vídeo também será adicionado para o Instagram (Lorenzo Di Cola/Getty Images)

C
Cointelegraph Brasil

Publicado em 3 de novembro de 2022, 14h31.

A plataforma de rede social Instagram está preparada para introduzir uma série de ferramentas relacionadas a tokens não-fungíveis (NFTs, em inglês) que permitirão aos criadores criar, exibir e vender esses ativos.

A empresa-mãe do Instagram, a Meta, disse na quarta-feira, 2, durante o evento Creator Week 2022, que a plataforma permitirá que criadores fizessem “colecionáveis digitais” e os vendessem “dentro e fora do Instagram”.

A Meta diz que os criadores terão um “kit de ferramentas de ponta a ponta” para criar, exibir e vender NFTs dentro da plataforma e escolheu o blockchain da Polygon como base para essa funcionalidade.

(Mynt/Divulgação)

A empresa diz que um “pequeno grupo” de criadores baseados nos EUA será elegível para testar os novos recursos e a expansão para outros países virá em seguida, mas não forneceu informações sobre quando isso ocorrerá.

Além de sua linha atual de blockchains suportados, que inclui Ethereum, Flow e Polygon, a Meta também revelou que vai oferecer suporte para o blockchain Solana e sua popular carteira digital Phantom.

O suporte para NFTs em vídeo também será adicionado, e metadados como nomes e descrições para coleções selecionadas serão extraídos do marketplace OpenSea.

O chefe de comércio e tecnologia financeira da Meta, Stephane Kasriel, disse que a empresa não cobrará taxas sobre a criação e a negociação NFTs no Instagram até 2024, e as taxas de gás dos blockchains para os compradores serão pagas pela Meta “no lançamento”, mas não esclareceu por quanto tempo a empresa manterá tal política.

Kasriel disse que as transações de NFTs ainda estariam sujeitas a “taxas de loja de aplicativos”, referindo-se à comissão de 30% que a Apple cobra sobre as vendas desses ativos. A cobrança gerou fortes críticas entre a comunidade cripto por ser mais alta do que a comissão média de 2,5% aplicada por marketplaces especializados como o OpenSea.

Com isso, aparentemente os compradores não poderão comprar NFTs usando criptomoedas por meio do aplicativo do Instagram, pois a Apple e o Google suportam apenas compras no aplicativo realizadas com moedas fiduciárias e ambas proíbem o encaminhamento a links externos ou outras ações que permitem que os usuários contornem suas comissões.

A Meta não divulgou o valor da comissão que pretende recolher a partir das vendas de NFTs nem como será seu sistema de royalties. Não se sabe se a empresa seguirá os recentes esforços dos marketplaces para alterar os modelos modelos de royalties opt-in.

O Cointelegraph entrou em contato com a Meta para esclarecimentos sobre sua estrutura de comissões e royalties, mas não recebeu resposta até o momento.

Para você que adora ler notícias de crypto, a Mynt é o aplicativo ideal para você. Invista e aprenda sobre crypto ao mesmo tempo com conteúdos descomplicados para todos os públicos. Clique aqui para abrir sua conta.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok