Future of Money

Inovação financeira cria demanda por profissionais brasileiros na Finlândia

Brasil está entre as prioridades do governo finlandês ara atração de talentos e startups, e maior grupo financeiro do país destaca esforço para atrair brasileiros

Brasil é destaque na digitalização da economia (Getty Images/Reprodução)

Brasil é destaque na digitalização da economia (Getty Images/Reprodução)

João Pedro Malar
João Pedro Malar

Repórter do Future of Money

Publicado em 19 de abril de 2024 às 12h15.

O destaque do Brasil na área de digitalização do mercado financeiro, com projetos como o Pix, o Open Finance e o Drex, deu origem a uma demanda por profissionais brasileiros que possam atuar nessa área em outros países. É o caso da Finlândia, onde o maior grupo financeiro do país, o OP, tem demonstrado um interesse crescente por contratações de brasileiros.

Em entrevista à EXAME durante o Web Summit Rio 2024, Tommi Kornohen, diretor de pessoas e culturas do OP Financial Group, destacou que o esforço da Finlândia em "sempre estar na frente desse processo de digitalização da economia. Nosso banco foi um dos primeiros do mundo a se tornar digital, um dos dois primeiros a ter um serviço mobile".

Segundo Kornohen, o esforço atual do grupo OP é expandir a disponibilidade dos serviços financeiros digitais para seus clientes. Nesse cenário, o banco tem observado uma "expansão e mudança nas habilidades necessárias para os profissionais dessas áreas. Na prática, os bancos se tornaram quase empresas de tecnologia".

Por causa disso, conhecimentos sobre os diferentes aspectos do processo de digitalização e também sobre as tecnologias envolvidas nesse processo têm sido valorizados pelo banco. E o executivo ressalta que essas habilidades são mais presentes em profissionais brasileiros. "É animador ver quantos brasileiros, em especial os jovens, são entusiasmados com as novas tecnologias e buscam evoluir o setor financeiro", pontua.

"Temos uma demanda maior por brasileiros nessas áreas pelas empresas do exterior. O Brasil tem muita gente jovem, bem formada e voltada à tecnologia. A demanda existe, e nós precisamos olhar para o talento fora da Finlândia", comenta Kornohen.

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas e com curadoria dos melhores criptoativos para você investir.  

Nesse sentido, o grupo financeiro tem tido um esforço para "abrir as portas para os brasileiros trabalharem" no país. Para isso, ele conta com o auxílio da Business Finland, uma organização do governo finlandês e que busca atrair talentos e empresas de outros países para a Finlândia.

À EXAME, Laura Lindeman, diretora-sênior de Negócios da Business Finland, destacou que o Brasil "é uma prioridade no momento para o governo inteiro". O país se juntou ao Vietnã, Índia e Filipinas como as prioridades nesse movimento de atração. "Vemos muito potencial no Brasil. É o lugar para achar os talentos que precisamos", diz.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:Mercado financeiroFinlândiaIndústria digital

Mais de Future of Money

Número de bitcoins em corretoras de criptomoedas cai para menor nível em 6 anos

Negociação de futuros de ether bate recorde de US$ 14 bilhões com expectativa sobre ETFs

Análise: mercado cripto retoma tendência de alta com dólar mais fraco e ETFs de ether no radar

Gala Games revela que perdeu R$ 1 bilhão em ataque: "fizemos uma confusão"

Mais na Exame