Impulsionado por games em blockchain, mercado de NFTs cresce 704%

Axie Infinity, Splinterlands e outros jogos lideram movimento que multiplicou volume de negociação de NFTs no trimestre: total chega a quase R$ 60 bilhões

O mercado de tokens não-fungíveis, popularmente conhecidos pela sigla em inglês NFTs, explodiu no terceiro trimestre de 2021. Impulsionado pelos jogos em blockchain, em especial os chamados "play-to-earn", ou "jogue para lucrar", o setor cresceu mais de 700% em relação ao período anterior.

Segundo dados do site DappRadar, os NFTs movimentaram 10,7 bilhões de dólares (quase 60 bilhões de reais) entre o início de julho e o fim de setembro, um recorde absoluto para o setor. Apenas em agosto, foram 5,2 bilhões de dólares em negociações de criptoativos deste tipo. Em relação ao último ano, o aumento chega a impressionantes 38.060%.

O volume negociado inclui todos os tipos de NFTs, sejam obras de arte digitais, ítens colecionáveis e ítens de games em blockchain. Este último, inclusive, respondem por 22% do total de negociações, equivalente a 2,3 bilhões de dólares movimentados no trimestre.

Game em blockchain mais popular do mundo, Axie Infinity chegou à histórica marca de 2 bilhões de dólares movimentados na plataforma. No game, os jogadores criam, evoluem e batalham com personagens chamados "axies", que são NFTs, assim como os acessórios e outros ítens presentes no jogo.

Apesar da liderança, Axie Infinity começa a ganhar concorrentes de peso. Se no início da semana foi divulgado o primeiro trailer do aguardado Star Atlas, que será rodado no blockchain Solana - Axie Infinity é baseado na rede Ethereum - o jogo Splinterlands foi o que mais cresceu no trimestre, chegando a 238 mil carteiras únicas ativas em setembro, um aumento de 1.376% em relação ao trimestre anterior.

 

Muito mais do que jogos

Apesar de impulsionado pelos blockchain games, o mercado de NFTs foi muito além deste "sub-setor" no último trimestre.

A divulgação de que celebridades como Snoop Dogg, Shaquille O'Neal e Steve Aoki compraram artes ou colecionáveis em NFTs ajudou não apenas a divulgar o setor como também a fortalecer discussões sobre o assunto nas redes sociais e outros círculos.

A compra de um CryptoPunk pela Visa por 150 mil dólares e a venda de um lote de NFTs da coleção Bored Ape Yacht Club por mais de 24 milhões de dólares em leilão realizado pela Sotheby's também têm papel semelhante.

Mas, além disso, o desenvolvimento do mercado promove o lançamento de coleções e projetos cada vez mais inovadores e criativos. Um exemplo é o CyberKongz, que paga uma espécie de dividendo aos seus proprietários. Hoje, cada dono de um NFT da coleção recebe 10 tokens BANANA por dia, o que, na cotação atual do token, equivale a mais de 900 dólares por dia.

O valor de mercado das principais coleções de NFTs, inclusive, também chegou a um número considerável. As 100 principais coleções baseadas na rede Ethereum mais o NBA Top Shot, que roda no blockchain Flow, acumulam 14,2 bilhões de dólares. O líder é o CryptoPunks, responsável por 43,4% do total. Bored Ape Yacht Club (14,5%) e NBA Top Shot (6,5%) aparecem na sequência.

O número, entretanto, poderá crescer consideravelmente nas próximas semanas e meses, especialmente após a ativação desse tipo de aplicação em blockchain populares como Tezos e Solana, que já anunciaram que isso deverá acontecer em breve. Assim, a perspectiva é de que o setor cresça ainda mais no restante de 2021.

Apesar do risco de bolha apontado por muitos, o fato é que os NFTs são possivelmente o primeiro setor dentro do mercado de criptoativos a ultrapassar o nicho da tecnologia e atingir públicos mais amplos e populares. Além disso, a consolidação de algumas marcas ligadas aos NFTs e o fortalecimento de comunidades muito ativas e engajadas ao redor delas são fatores que podem promover crescimento sustentável e garantir longevidade à tecnologia e aos projetos que a utilizam.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também