Gestora brasileira supera empresas dos EUA e é lider global em captação em ETFs de criptomoedas

De acordo com a Bloomberg, no acumulado do ano, os ETFs criados pela Hashdex atraíram US$ 117,9 milhões, superando empresas como 21Shares, Seba Bank, Vaneck e WisdowmTree
 (Reprodução/Unsplash)
(Reprodução/Unsplash)
C
Cointelegraph Brasil

Publicado em 07/07/2022 às 15:35.

Última atualização em 07/07/2022 às 16:32.

Um novo relatório da Bloomberg apontou que a empresa brasileira Hashdex superou as empresas americanas e figura na primeira posição como a companhia que mais captou investimentos no mundo através de ETFs de índices de criptomoedas.

De acordo com os dados, no acumulado do ano, a empresa sediada no Rio de Janeiro atraiu US$ 117,9 milhões. Em segundo lugar aparece a companhia 21Shares, que captou US$ 54,3 milhões. Na terceira posição está a companhia da Suiça, Seba Bank, que atraiu pouco mais de US$ 15 milhões. Na sequência figuram as americanas Vaneck e WisdomTree.

Atualmente, a Hashdex possui na bolsa brasileira seis ETFs que seguem índices de criptoativos. O principal destaque é o HASH11, que replica o NCI — índice criado pela empresa em parceria com a Nasdaq. O produto já se consolidou como o segundo maior no ranking geral da B3, com mais de 150 mil investidores.

(Mynt/Divulgação) (Mynt/Divulgação)

O HASH11 também é líder em captação de recursos. No acumulado do ano, já atraiu mais de US$ 80 milhões.

"Estamos contentes com a confiança depositada em nossos produtos. Esse resultado revela o esforço do nosso trabalho em oferecer aos investidores brasileiros, e também de outros países, as melhores estratégias de investimento para o mercado de criptoativos em veículos seguros e regulados. acesso seguro e regulado para diferentes segmentos do mercado de criptoativos", comenta Samir Kerbage, CTO da Hashdex.

Mil bitcoins

Em outro resultado positivo das empresa que trabalham com ETF e fundos de investimento com exposição em criptomoedas no Brasil, a QR anunciou que o QBTC11, primeiro ETF 100% bitcoin da América Latina, atingiu a marca de mais de mil bitcoins sob custódia.

Lançado pela QR Asset Management em 23 de junho de 2021, o ETF completou um ano no mercado e conta com um patrimônio líquido de R$ 110,16 milhões. O fundo, autorizado pela CVM e listado na B3, replica o preço do bitcoin seguindo o mesmo índice utilizado pelo Chicago Mercantile Exchange Group, a maior bolsa de derivativos do mundo.

"É perceptível o interesse do público em participar deste mercado. Um dos objetivos da QR sempre foi garantir opções seguras e simples de exposição ao bitcoin. Apesar da queda de preço desde o lançamento do QBTC11d, a quantidade de bitcoins sob custódia é, hoje, 58% maior do que era no primeiro dia de negociação do ETF", destacou Theodoro Fleury, gestor da QR Asset Management.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok