Elon Musk: criptos são imparáveis e governo dos EUA não deveria fazer nada

CEO da Tesla mostra otimismo com criptoativos, diz que governo dos EUA não deveria tentar regular o setor e critica nova pressão da China

O CEO da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, voltou a falar sobre criptoativos na última terça-feira, 28. Na Code Conference, evento realizado na Califórnia (EUA), o executivo afirmou que os EUA deveriam evitar regular o mercado cripto e que as criptomoedas não podem ser paradas por governos.

“Não é possível, eu acho, destruir as criptos, mas é possível para os governos desacelerarem seu avanço”, disse Elon Musk, segundo a CNBC, quando perguntado se o governo dos EUA deveria se envolver na regulação do setor. "Eu diria 'não faça nada'", completou Musk.

Musk, também mostrou otimismo quanto ao papel das criptomoedas no sistema financeiro no futuro, mas disse reconhecer que o setor não tem todas as respostas para as dores da sociedade. "Eu não diria que sou um grande especialista em criptoativos, e acredito que existe valor no setor, mas eu também não diria que é a chegada do Messias".

O bilionário também falou sobre a nova investida da China contra os criptoativos. Para ele, a natureza descentralizada dos criptoativos será um desafio para o governo chinês. "Eu acho que os criptoativos têm como objetivo fundamental a redução do poder de um governo centralizado. E eles não gostam disso", afirmou.

Elon Musk também disse acreditar que o consumo energético das criptomoedas também é um fator importante na decisão do governo chinês de apertar ainda mais o cerco contra o setor. “Parte desta decisão pode ser devido à falta de eletricidade em muitas partes da China”, disse Musk. “Grande parte do sul da China está sofrendo interrupções de energia aleatórias, porque a demanda de energia é maior do que o esperado. A mineração de criptomoedas pode estar desempenhando um papel nisso”, disse ele.

Famoso por suas mensagens irônicas - e muitas vezes polêmicas - nas redes sociais, Elon Musk já se mostrou um grande entusiasta das criptomoedas. Além da sua "queridinha" dogecoin, o executivo também já falou bastante sobre a criptomoeda-meme shiba inu e, claro, sobre bitcoin, criptomoeda que a Tesla comprou o equivalente a 1,5 bilhão de dólares em fevereiro.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também