Elon Musk suspende uso de bitcoin para compra de carros da Tesla

Bilionário investidor cita uso crescente de combustíveis fósseis na mineração do criptoativo como motivo de preocupação que sustenta a decisão
Elon Musk diz enxergar futuro promissor para criptoativos, mas adverte que isso não pode ocorrer às custas do meio ambiente (Andrew Harrer/Bloomberg)
Elon Musk diz enxergar futuro promissor para criptoativos, mas adverte que isso não pode ocorrer às custas do meio ambiente (Andrew Harrer/Bloomberg)
Por Da RedaçãoPublicado em 12/05/2021 20:35 | Última atualização em 13/05/2021 14:15Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Um dos maiores entusiastas de criptomoedas do mundo, o bilionário Elon Musk acaba de anunciar um revés importante para essa classe de ativos. Ele disse por meio do Twitter que a Tesla não mais aceitará bitcoin como pagamento pelos seus carros.

"Nós estamos preocupados com o aumento acelerado de combustíveis fósseis para a mineração de bitcoin e suas transações, especialmente carvão, que tem as piores emissões entre todos os combustíveis", escreveu Musk.

Pouco tempo depois do tuíte, o bitcoin acumulava queda de 7,33% nas últimas 24 horas, para a casa de 51.800 dólares.

Elon Musk on Twitter: "Tesla & Bitcoin https://t.co/YSswJmVZhP" / Twitter

"Criptomoeda é uma boa ideia em muitos níveis, e nós acreditamos que tem um futuro promissor, mas não pode vir a um grande custo para o meio ambiente", completou.

Não é o uso do bitcoin em si que demanda muita energia, mas a sua mineração, que é a base de funcionamento. É essa atividade em redes de computadores que garante a segurança das transações, dos saldos de cada uma das carteiras em um determinado período e da própria rede em si. A fonte de energia consumida é controversa: existem estudos que apontam que a maior parte vem de fontes renováveis, embora não seja trivial identificar a origem exata.

Há pouco menos de dois meses, no fim de março, Musk havia anunciado que a maior montadora de veículos elétricos do mundo passaria a aceitar o bitcoin como pagamento. A decisão foi interpretada como um importante passo para que a criptomoeda ganhasse reconhecimento institucional do mercado.

Pouco antes, Musk havia revelado que a Tesla havia comprado o equivalente a 1,5 bilhão de dólares em bitcoin como estratégia de caixa. Há duas semanas, na divulgação do resultado do primeiro trimestre, a empresa informou que o ativo havia se valorizado para quase 2,5 bilhões de dólares e que havia vendido o equivalente a 272 milhões de dólares.

Por fim, no tuíte, Musk disse que a Tesla não vai se desfazer do bitcoin que tem em carteira e que vai aguardar para retomar os negócios assim que a mineração migrar para modelos ambientalmente mais sustentáveis.