Britânico que perdeu HD com R$ 1 bilhão em bitcoin tem novo plano de busca

James Howells tenta encontrar equipamento desde 2013 e agora aposta em alta tecnologia para recuperar fortuna perdida, mas autoridades locais proíbem operação

James Howells ficou famoso em 2013, quando jogou fora um disco rígido (HD) que continha 7.500 bitcoins, à época avaliados em 7,5 milhões de dólares. Desde então, a fortuna se multiplicou e, depois de diversas tentativas para encontrar o equipamento, o britânico agora tem uma nova arma: a tecnologia. Para isso, entretanto, ainda vai precisar convencer as autoridades.

Em janeiro de 2021, com o preço do bitcoin já acima de 30 mil dólares e seu HD avaliado em quase 250 milhões de dólares - ou mais de 1,3 bilhão de reais - ele chegou a oferecer 75 milhões de dólares de recompensa para quem o encontrasse. Mas não teve sucesso.

Desta vez, segundo o jornal britânico The Sun, Howells aposta na tecnologia para encontrar sua fortuna perdida, que ele acredita estar em um lixão de Newport, no País de Gales, onde vive. Ele teria contatado engenheiros, ambientalistas e especialistas em recuperação de dados de diversas partes do mundo para realizar uma busca com esteiras de transporte, dispositivos de varredura de raios-X e inteligência artificial.

A ideia é tentar remover entre 300 mil e 400 mil toneladas de lixo para encontrar o valioso disco rígido. A operação custaria cerca de 800 mil dólares, que Howells afirma ter conseguido com um fundo de hedge bilionário disposto a bancar a missão em troca de uma parte da fortuna.

As autoridades de Newport, entretanto, não gostaram nem um pouco da ideia, e rejeitaram qualquer possibilidade de aprovar a busca pelo equipamento. Recusaram inclusive a possibilidade de pagamento de parte do valor caso o HD fosse encontrado.

"A ideia é fazer uma busca profissional, não alguém entrando no lixão com um balde e uma pá", disse Howells à publicação. "Seria uma operação delicada, porque não podemos danificar o equipamento durante o processo. Não dá para usar uma retroescavadeira".

"O custo de escavação, armazenamento e tratamento do lixo seria de milhões de libras, sem a garantia de encontrar o equipamento ou de que ele esteja funcionando. Também explicamos diversas vezes que não temos licença para permitir esse tipo de escavação, que pode provocar enorme impacto ambiental nos seus arredores. Mesmo se pudéssemos aceitar seu pedido, ainda há a questão de quem pagaria esses custos caso o equipamento não fosse encontrado. Já fomos bastante claros de que não podemos ajudá-los com essa questão", disse uma porta-voz da autoridade britânica.

    James Howells jogou o equipamento no lixo por engano, quando fazia uma limpeza no seu escritório. Caso alguem encontrasse o equipamento, não poderia ficar rico sozinho, já que só ele tem a senha de acesso aos bitcoins. No entanto, quando oferecer a recompensa no início do ano, preocupou as autoridades pela possibilidade de causar uma corrida aos depósitos de lixo da região.

    Se atualmente, com o preço do bitcoin em cerca de 33 mil dólares, o HD teria 1,3 bilhão de reais, há poucos meses, quando a criptomoeda chegou ao seu valor recorde de mais de 64 mil dólares, o equipamento perdido chegou a valer mais de 2,5 bilhões de reais.

    Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


    Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


    Falta pouco para você liberar seu acesso.

    exame digital

    R$ 3,90/mês
    • R$ 9,90 após o terceiro mês.

    • Acesse quando e onde quiser.

    • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
    Assine

    exame digital anual

    R$ 99,00/ano
    • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

    • Acesse quando e onde quiser.

    • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
    Assine

    Já é assinante? Entre aqui.

    Veja também