100 endereços mais ricos compraram US$ 11 bilhões em bitcoin no último mês

Maiores investidores do mundo seguem acumulando bitcoins: apenas 7 dos 100 endereços movimentaram seus saldos durante a queda do último dia 11

Os 100 endereços mais ricos da rede Bitcoin aumentaram a quantidade de ativos em sua posse em 16% nos últimos 30 dias. Isso equivale a 334 mil bitcoins, ou cerca de 11 bilhões de dólares, segundo dados do site Bitinfocharts.

Como os dados registrados em blockchain são públicos, qualquer um pode pesquisar o saldo e as movimentação de uma carteira — basta ter o endereço da mesma. A grande maioria dos 100 endereços com mais bitcoin pertence à grandes investidores, as chamadas “baleias” (ou “whales”, em inglês), mas alguns também são de exchanges de criptoativos como Binance, Huobi, Bittrex e Kraken.

O aumento no número de bitcoins das grandes carteiras pode ser um sinal positivo para o mercado de criptoativos, pois indica que grandes investidores — e possivelmente investidores institucionais, já que se tratam de cifras bilionárias — estão acumulando mais bitcoin.

Outro fato interessante sobre os 100 endereços mais ricos da rede Bitcoin é que apenas 7 deles fizeram transferências durante a queda de 22% no preço do ativo na ativo na última segunda-feira (11), quando o preço do bitcoin despencou de 41 mil para 33 mil dólares.

Isso significa que 93% desses grandes investidores não venderam os seus ativos durante o movimento de queda, e mesmo os 7% que movimentaram suas carteiras não necessariamente realizaram vendas, já que as transferências podem ter sido feitas para outros endereços próprios — uma pessoa ou instituição pode ter quantos endereços desejar registrados no blockchain.

Os 100 maiores endereços de bitcoin do mundo controlam mais de 2,5 milhões de bitcoins, o equivalente, atualmente, a mais de 85 bilhões de dólares e 13,5% do total de bitcoins em circulação. Nesta terça-feira (13) o maior ativo digital do mundo amanheceu negociado na faixa de 34 mil dólares no mercado internacional e 185.600 reais nas exchanges brasileiras.

No curso “Decifrando as Criptomoedas” da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da Exame, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. O especialista usa como exemplo o jogo Monopoly para mostrar quem são as empresas que estão atentas a essa tecnologia, além de ensinar como comprar criptoativos. Confira.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.