Future of Money

Brasil investe R$ 15,7 milhões em semana de recuo global em fundos de criptomoedas

Investidores hesitaram em novos aportes com estagnação dos preços, aponta relatório semanal

 (SOPA Images/Getty Images)

(SOPA Images/Getty Images)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 16 de abril de 2024 às 09h30.

O Brasil aportou US$ 3 milhões, cerca de R$ 15,7 milhões pela cotação do dólar americano na manhã da última segunda-feira, 15, em produtos de investimento de criptomoedas na última semana apesar do período ter sido marcado pela estagnação de preços e saídas líquidas que acumularam US$ 126 milhões, segundo dados do relatório da gestora CoinShares.

De acordo com o monitoramento, os EUA arrastaram os aportes para o vermelho com US$ 145 milhões em saídas líquidas, seguidos por Canadá, Suíça e Suécia, com saídas de US$ 6 milhões, US$ 5,7 milhões e US$ 5,2 milhões respectivamente.

No terreno positivo, além do Brasil, os aportes da Alemanha somaram US$ 28,6 milhões enquanto a Austrália registrou US$ 1,6 milhão e outros países totalizaram US$ 3 milhões em fluxos positivos.

  • O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

O acumulado global sob gestão (AuM, na sigla em inglês) apresentou recuo para US$ 93,28 bilhões ante US$ 94,46 bilhões da semana anterior. Nesse caso, EUA responde por US$ 73,11 bilhões, seguido por Suíça, Canadá, Alemanha, Suécia e Brasil, respectivamente com AuMs de US$ 4,98 bilhões, US$ 4,86 bilhões, US$ 4,41 bilhões, US$ 3,6 bilhões e US$ 911 milhões (R$ 4,7 bilhões).

Em relação aos provedores de fundos de criptomoedas, as duas maiores saídas foram da Grayscale com US$ 751 milhões e ProShares ETFs com US$ 111 milhões. Pelo lado positivo, iShares ETFs da gestora BlackRock registrou US$ 486 milhões em entradas líquidas, seguida por Fidelity ETFs com US$ 90 milhões e outros países, que totalizaram US$ 163 milhões.

Por criptoativo, o bitcoin registrou saídas líquidas de US$ 110 milhões, seguido por Ethereum com US$ 28,7 milhões, cesta de multiativos com US$ 5,4 milhões e Solana com saídas líquidas de US$ 3,6 milhões. Pelo lado positivo, os destaques foram para os investimentos de curto prazo em bitcoin com US$ 1,7 milhão em entradas, Polkadot com US$ 1,6 milhão e outras altcoins, que totalizaram US$ 17,3 milhões.

O relatório apontou ainda que os investidores estão mais hesitantes por causa da estagnação dos preços e que a atividade dos fundos de criptomoedas caiu em relação ao mercado global, de cerca de 40% para 31% em bolsas consideradas confiáveis.

Na semana anterior, o país investiu R$ 49 milhões em semana marcada por avanço moderado sobre fundos de criptomoedas.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Bitcoin só voltará a disparar após eleições nos EUA, diz CEO de gestora de R$ 40 bilhões

Criptomoeda ligada ao Telegram estreia no mercado com disparada de 4.650% e alta volatilidade

IA e blockchain: a união do futuro? Apostando no setor, BTG disponibiliza duas novas criptos na Mynt

Morgan Stanley revela investimento de mais de R$ 1 bilhão em ETFs de bitcoin

Mais na Exame