Acompanhe:

De semáforo inteligente aos pontos de reciclagem: Google investe em sustentabilidade nas cidades

O Google apresentou nesta quarta-feira, 22, diferentes iniciativas da companhia para o engajamento de clientes e consumidores nas frentes de sustentabilidade nas cidades

Modo escuro

Continua após a publicidade
Evento de sustentabilidade no Google, em São Paulo (Google/Divulgação)

Evento de sustentabilidade no Google, em São Paulo (Google/Divulgação)

O número de brasileiros que conhecem a pauta ESG (sigla em inglês para práticas ambientais, sociais e de governança) cresceu no último ano. De acordo com uma nova pesquisa encomendada pelo Google à empresa de tecnologia especializada em pesquisa digital MindMiners, uma em cada quatro pessoas (27%) no país já ouviu falar da sigla. Isto é mais seis pontos percentuais quando comparado ao ano passado. Além disto, quatro em cada cinco (83%) valorizam empresas e marcas ligadas à agenda ESG.

Neste contexto, o Google apresentou nesta quarta-feira, 22, diferentes iniciativas da companhia para o engajamento de clientes e consumidores nas frentes de sustentabilidade. Uma delas é o projeto Green Light, que utiliza inteligência artificial para fazer recomendações de melhoria no fluxo do trânsito a partir da otimização dos semáforos existentes nas cidades. Ao coordenar vários cruzamentos adjacentes para criar ondas de sinais verdes, as cidades podem melhorar o fluxo dos veículos e reduzir as emissões de CO2.

"O Google faz parcerias com cidades do mundo todo para entender os dados de administração pública e influenciar a tomada de decisão e o planejamento. A intenção é gerar relatórios que avaliam as emissões de CO2, por exemplo. No caso do Green Light já vemos resultados como a redução potencial das paradas dos veículos em 30% e a redução das emissões nos cruzamentos em mais de 10%", diz Ivan Patriota, coordenador de parcerias do Google Mapas na América Latina. 

No mundo são 70 cruzamentos que utilizam a tecnologia em doze cidades. No Brasil, a prática acontece no Rio de Janeiro e há planos de expansão para Campinas, no interior de São Paulo. "A iniciativa é importante porque ato de frear e seguir nos cruzamentos das cidades pode poluir 29 vezes mais quando comparado ao trânsito nas estradas livres", diz Patriota.

Operações no Rio de Janeiro

O Google também anunciou nesta quarta-feira uma parceria com o Centro de Operações do Rio, o COR-Rio, para identificar e medir as fontes de emissões de gases poluentes no Rio de Janeiro. Como parte da parceria, o COR-Rio passará a usar dados do Environmental Insights Explorer (EIE) que combina inteligência artificial e imagens aéreas para oferecer análises e identificar  oportunidades de redução de gases de efeito estufa e poluição nas cidades.

A plataforma mostra oportunidades na redução das emissões, implementação de fontes de energia renováveis e mais limpas, melhoria na infraestrutura por meio do incentivo ao uso de outros meios de transporte mais sustentáveis e sobre construções com maior eficiência energética.

Inundações e ondas de calor

Ainda no evento, Luisa Phebo, líder de parcerias de impacto social do Google comentou como a companhia informa a partir de pesquisas crescentes. Para se ter ideia, este é o ano em que as pessoas mais buscaram sobre tempestades. Ela também destacou o desenvolvimento de alertas de inundações e calor extremo.

Desenvolvido em parceria com o Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM), o Alerta de Previsão de Inundações permitiu, até este mês, o envio de mais de 2 milhões de notificações de celular com previsão de enchentes ribeirinhas em cerca de sete dias antes e mais de 250 alertas foram disponibilizados na Busca e no Google Maps, impactando mais de 9 milhões de pessoas no Brasil.

Até o final deste ano, o Google irá expandir a previsão de enchentes ribeirinhas para mais 40 localidades (38 novas cidades). Esse sistema de alertas é parte dos esforços do Google para fornecer alertas detalhados sobre o nível das águas dos rios e previsões de cheias.

Sustentabilidade e consumo

Sabendo dos interesses dos consumidores com os temas relacionados ao ESG, o Google tem um trabaho de consultoria para empresas por meio do programada Impact!, que reúne dados e recomendações para ajudar empresas e marcas a evoluir em suas jornadas de maturidade ESG.

Assim a companhia desenvolveu, por exemplo, a possibilidade de mostrar no Google Mapas pontos de coleta de resíduos recicláveis. A ideia surgiu em parceria com o Grupo Boticário, que tem um programa de coleta de resíduos nas lojas do O Boticário, de forma a incentivar o cliente a devolver as embalagens de cosméticos de qualquer marca. Atualmente, são mais de 7.000 pontos por todo o Brasil.

"Temos tido discussões ricas com as empresas para comunicar melhor as ações e programas com as sociedades, considerando as ofertas de preodutos e serviços sustentáveis para todos", diz Marco Bebiano, diretor de negócios no Google.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Aceleração econômica só é possível ao considerar mudanças climáticas, apontam especialista em Fórum
ESG

Aceleração econômica só é possível ao considerar mudanças climáticas, apontam especialista em Fórum

Há 4 horas

Notificações e mapas: Google anuncia novidades para o Wear OS
Tecnologia

Notificações e mapas: Google anuncia novidades para o Wear OS

Há 11 horas

Após polêmica sobre imagens, Gemini, do Google, é criticado por gerar respostas tendenciosas
Inteligência Artificial

Após polêmica sobre imagens, Gemini, do Google, é criticado por gerar respostas tendenciosas

Há 15 horas

Biometano, economia circular e impacto social: o que moveu o ESG das empresas nesta semana
ESG

Biometano, economia circular e impacto social: o que moveu o ESG das empresas nesta semana

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais