ESG

Como planejar a carreira para chegar a posições de destaque

Ainda há percalços para mulheres que buscam crescer profissionalmente, por isso é tão importante se conhecer, definir objetivos e se preparar permanentemente para enfrentar os desafios

Passo a passo: autoconhecimento e a escolha de pessoas inspiradoras ajudam no planejamento profissional, aconselham executivas (Eduardo Frazão/Exame)

Passo a passo: autoconhecimento e a escolha de pessoas inspiradoras ajudam no planejamento profissional, aconselham executivas (Eduardo Frazão/Exame)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 6 de maio de 2024 às 07h30.

Como fazer um planejamento de carreira que leve a posições de destaque, como uma cadeira em um conselho de administração de uma empresa? E se a meta estiver no plano de carreira de uma mulher, quais são os principais desafios?

Anna Chaia, conselheira de empresas e mentora de Startups, Martha Leonardis, sócia e head de Eventos e Responsabilidade Social do BTG Pactual, Andrea Cruz, CEO da Serh1 Consultoria, e Fiamma Zarife, diretora-geral do Airbnb na América do Sul discutiram essas questões com uma série de exemplos reais durante um dos painéis do Elas Lideram 2024.

O painel fez parte do o primeiro evento da EXAME Plural, iniciativa que reforça o compromisso com o espaço e a voz para as lideranças femininas incentivadoras da criação de oportunidades para mais mulheres em busca de crescimento.

A formação de uma rede de relacionamentos profissionais, na visão de Andrea Cruz, deve fazer parte da preparação para quem quer avançar na carreira. "Paralelamente a isso, é importante se planejar de forma a saber onde se quer estar daqui a cinco anos, no futuro. Esta é uma forma de sairmos da zona de conforto", sugeriu a especialista em carreiras.

Referências

Se hoje as profissionais têm exemplos inspiradores, nem sempre foi assim. Fiamma contou que não fez um planejamento de carreira muito estruturada, nem colocou a meta de ser CEO de uma empresa.

"Quando comecei eu tinha poucas referências, porque não via muitas mulheres em posições de comando. Mas tracei a minha linha mestra, com muita autorreflexão, autoconhecimento. Defini a partir da minha formação onde não queria trabalhar, mas que gostaria de estar ao lado do cliente como executiva, não como empreendedora, colocando a mão em projetos com impacto positivo no mundo", citou a diretora-geral do Airbnb. Definir as melhores condições ajudou a focar na capacitação - uma característica que ela mantém até hoje.

Martha Leonardis, sócia e head de Eventos e Responsabilidade Social do BTG Pactual, salientou que, mesmo com muito preparo e experiência, os desafios são permanentes. “Nós não nos sentimos preparadas ou então nos sentimos inadequadas, perdendo oportunidade que os homens não perdem. É preciso ter muita determinação para persistir neste caminho, buscando um equilíbrio entre saúde, família e trabalho que nem sempre acontece”, pontuou.

Alternativas

Tem sido crescente o interesse feminino por assentos em conselhos de administração, mas o mercado ainda não absorve estas profissionais na velocidade ideal. Por isso, para Anna Chaia, quem mira esse tipo de posição deve levar em consideração outras possibilidades. Experiente, ela lembrou que as regras para a disponibilidade de vagas em conselhos torna essa alternativa para poucos - menos ainda para as mulheres.

"Além de planejar a carreira enquanto estiver na ativa, para evitar a vulnerabilidade na hora de tomar uma decisão sensata, minha dica para quem se preparou pensando apenas nos conselhos em empresas de capital aberto é também abrir a cabeça para os conselhos consultivos, inclusive como pro bono, porque sempre é enriquecedor ter um portfólio", detalhou Anna.

Elas Lideram 2024, patrocinado pelo BTG Pactual e pela PepsiCo, com apoio da Freixenet e da Linus, aconteceu em 25 de abril, em São Paulo, e reuniu em seus painéis um grupo especial de profissionais e um público, formado quase integralmente por mulheres, em busca de conhecimento e dicas de carreira.

Acompanhe tudo sobre:Exame PluralMulherescarreira-e-salariosConselhos de administração

Mais de ESG

Empreendedorismo feminino, uma força que move a sociedade brasileira

Pesquisa mostra que empresas de bens de consumo fazem análises ESG, mas não rastreiam todo o risco

As soluções da Suvinil para transformar a tinta em um negócio cada vez mais sustentável

Bill Gates quer investir 'bilhões de dólares' em energia nuclear; entenda o motivo

Mais na Exame