Mesmo com queda da Selic, Brasil continua com o maior juro real do mundo

Para deixar a primeira posição do ranking, seria preciso cortar a Selic em 1,75 pontos percentuais

São Paulo – O Banco Central (BC) reduziu pela quinta vez consecutiva a taxa básica de juros da economia brasileira. A queda, porém, não foi suficiente para tirar o Brasil do primeiro lugar no ranking dos maiores pagadores de juros reais do mundo.

Segundo levantamento do estrategista-sênior da corretora do Banco Cruzeiro do Sul, Jason Vieira, se o país quiser deixar a colocação ingrata, seria preciso cortar a Selic em 1,75 pontos percentuais.

Com a Selic atual, a taxa brasileira, descontada a inflação projetada para os próximos 12 meses é de 4,2%. Assim, o Brasil segue líder disparado do ranking, com juros reais que estão quase um ponto percentual acima dos da Rússia, segunda colocada no ranking. (Veja infográfico com os juros reais nas principais economias).

No levantamento feito pela Cruzeiro do Sul Corretora, é possível observar também que, por causa da crise internacional, vários países estão com juro real negativo. A média dos 40 países pesquisados é de -0,7%.

País Taxa real
Fonte: Cruzeiro do Sul Corretora
Brasil 4,2%
Rússia 3,4%
Indonésia 2,1%
China 2,0%
Colômbia 1,6%
Taiwan 1,6%
Hungria 1,4%
Filipinas 1,3%
Austrália 1,1%
Índia 0,9%
Suíça 0,8%
Chile 0,8%
Israel 0,5%
México 0,4%
Polônia 0,4%
Malásia 0,3%
Coreia do Sul 0,1%
Japão 0,0%
Tailândia -0,3%
Suécia -0,4%
Argentina -0,6%
África do Sul -0,8%
Espanha -1,0%
França  -1,3%
Alemanha -1,3%
Grécia -1,3%
Holanda -1,5%
Canadá -1,5%
Áustria -1,9%
Dinamarca -2,0%
Itália -2,2%
Portugal -2,4%
Bélgica -2,6%
Estados Unidos -2,6%
República Tcheca -2,7%
Inglaterra -3,0%
Turquia -4,2%
Cingapura -4,6%
Hong Kong -5,3%
Venezuela -8,5%
Média dos 40 países -0,7%
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.