• AALR3 R$ 19,60 -1.01
  • AAPL34 R$ 74,36 1.72
  • ABCB4 R$ 16,43 1.36
  • ABEV3 R$ 14,53 0.35
  • AERI3 R$ 3,81 -1.04
  • AESB3 R$ 10,67 -1.11
  • AGRO3 R$ 32,37 2.76
  • ALPA4 R$ 21,90 -0.82
  • ALSO3 R$ 19,62 0.26
  • ALUP11 R$ 26,19 0.42
  • AMAR3 R$ 2,23 3.24
  • AMBP3 R$ 29,72 4.54
  • AMER3 R$ 23,04 1.63
  • AMZO34 R$ 72,52 3.90
  • ANIM3 R$ 5,38 7.60
  • ARZZ3 R$ 82,03 2.08
  • ASAI3 R$ 15,52 1.84
  • AZUL4 R$ 20,75 11.02
  • B3SA3 R$ 11,44 -3.87
  • BBAS3 R$ 35,10 -0.17
Abra sua conta no BTG

Secretário diz que 2ª parcela do 13º dos servidores do Rio está suspensa

Barbiero diz que prefeitura está fazendo "um freio de arrumação" com bloqueio
Rio de Janeiro: prefeitura informa que "a Secretaria Municipal de Fazenda suspendeu provisoriamente os pagamentos" (Getty Images/Flavio Veloso)
Rio de Janeiro: prefeitura informa que "a Secretaria Municipal de Fazenda suspendeu provisoriamente os pagamentos" (Getty Images/Flavio Veloso)
Por Agência O GloboPublicado em 17/12/2019 09:14 | Última atualização em 17/12/2019 09:14Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Rio de Janeiro — O secretário municipal de Fazenda, Cesar Barbiero, afirmou, em entrevista ao GLOBO, que está suspenso o pagamento da segunda parcela do 13º salário dos servidores municipais, previsto para esta terça-feira (16).

Bastante rouco, ele disse que o objetivo da medida tomada pela prefeitura foi dar "um freio de arrumação" até que se acertem as pendências com a Justiça por causa dos arrestos do Tribunal Regional do Trabalho.

"Ainda não tenho prazo. O objetivo é arrumar as contas. Com isso, os pagamentos da segunda parcela do 13º salário de servidores e de fornecedores estão suspensos. Espero retomar tudo assim que possível", disse o secretário.

Um decreto publicado nesta terça-feira no Diário Oficial suspendeu todos os pagamentos a fornecedores do município e demais movimentações financeiras até segunda ordem. O bloqueio nas operações da Subsecretaria do Tesouro vale desde as 14h desta segunda-feira.

Em nota, a prefeitura informa que "a Secretaria Municipal de Fazenda suspendeu provisoriamente os pagamentos a serem realizados pelo Tesouro Municipal. A medida tem como objetivo ajustar o caixa do município, em função dos arrestos determinados pela Justiça. O procedimento é pontual e pode ser revertido a qualquer momento."

A prefeitura já teve mais R$ 92,1 milhões bloqueados na ação trabalhista para pagar dívidas com funcionários das Organizações Sociais da Saúde, que estão em greve devido a atrasos no pagamento dos salários de outubro, novembro e do 13º salário. Os arrestos ocorreram em contas do Banco do Brasil onde estavam depositados os saldos das contas das chamadas fontes 100 (recursos do Tesouro) e 109 (multas de trânsito).