Economia

Rendimento médio do trabalhador fica em R$ 2.109 em maio

O valor é relativamente estável em relação ao observado no trimestre encerrado em fevereiro

Rendimentos: a massa real de rendimentos somou R$ 184,42 bilhões no trimestre encerrado em maio (Arquivo/Getty Images)

Rendimentos: a massa real de rendimentos somou R$ 184,42 bilhões no trimestre encerrado em maio (Arquivo/Getty Images)

AB

Agência Brasil

Publicado em 30 de junho de 2017 às 11h16.

Última atualização em 30 de junho de 2017 às 11h16.

O rendimento médio real habitual do trabalhador brasileiro ficou em R$ 2.109 no trimestre encerrado em maio deste ano. O valor é relativamente estável em relação aos observados no trimestre encerrado em fevereiro deste ano (R$ 2.102) e em abril de 2016 (R$ 2.062).

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada hoje (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com fevereiro, entre os grupamentos de atividade, apenas os trabalhadores domésticos tiveram crescimento no rendimento (1,5%), os demais se mantiveram estáveis.

Na comparação com maio do ano passado, apenas o segmento de agricultura e pecuária teve crescimento de 7,8%, os demais se mantiveram estáveis.

A massa real de rendimentos, que é o total recebido habitualmente por todos os trabalhadores brasileiros, também ficou relativamente estável nos dois tipos de comparação, ao somar o valor de R$ 184,42 bilhões no trimestre encerrado em maio.

Em fevereiro deste ano, o valor havia sido de R$ 183,07 bilhões e, em maio de 2016, de R$ 182,7 bilhões.

Acompanhe tudo sobre:EmpregosMercado de trabalhoSalários

Mais de Economia

CCJ do Senado adia votação da PEC da autonomia financeira do BC

Por que Países Baixos e Reino Unido devem perder milionários nos próximos anos?

STF prorroga até setembro prazo de suspensão da desoneração da folha

FGTS tem lucro de R$ 23,4 bi em 2023, maior valor da história

Mais na Exame