Petrobras reduz preço do gás de cozinha em 6%

Petrobras reduz em R$ 0,24 preço do GLP, usado no gás de cozinha, a partir de sexta-feira, 23
Gás de cozinha: o último reajuste no preço do gás de cozinha foi realizado em 12 de setembro (Malorny/Getty Images)
Gás de cozinha: o último reajuste no preço do gás de cozinha foi realizado em 12 de setembro (Malorny/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 22/09/2022 às 14:46.

Última atualização em 22/09/2022 às 15:45.

Petrobras anunciou nesta quinta-feira, 22, uma redução de R$ 0,24 por quilo no preço médio de venda do GLP (sigla para "gás liquefeito de petróleo"), usado no gás de cozinha.

O preço do combustível nas refinarias da estatal passará de R$ 4,03 para R$ 3,78 por quilo. O novo valor começa a valer na venda às distribuidoras a partir de sexta-feira, 23, e representa uma redução de 6% no preço do quilo.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta

Com a mudança, 13 quilos de GLP (a massa usada em um botijão de gás comum) passam a custar R$ 49,19, uma redução média de R$ 3,15 por botijão.

Esta é a terceira redução no preço do GLP. O último reajuste no preço do gás de cozinha foi realizado em 12 de setembro, quando a estatal reduziu o valor médio do GLP em R$ 0,20, uma queda de 4,7%. Em 9 de abril deste ano aconteceu outra redução.

Além da fatia referente à Petrobras, o preço final do botijão vendido ao consumidor inclui ainda tributos, custos e margem de lucro ao longo da cadeia. O preço final médio do botijão no Brasil estava em R$ 113,25 na semana encerrada em 17 de setembro, data da última medição da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Queda nos preços da Petrobras

Nas últimas semanas, a Petrobras vem reduzindo o preço de uma série de combustíveis nas vendas em suas refinarias. A estatal afirma que a movimentação acontece diante da queda nos preços internacionais.

A Petrobras disse em nota nesta quinta-feira, após o corte no GLP, que "a redução acompanha a evolução dos preços de referência".

A empresa afirmou que a mudança de preço "é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio".

O GLP, assim como diesel e gasolina, é um derivado do petróleo e impactado pela cotação no exterior diante da política de preços usada pela Petrobras (a PPI).

Desde julho, a Petrobras reduziu quatro vezes o preço da gasolina e três vezes o preço do diesel.

Após ter encostado em quase US$ 130 neste ano com a guerra na Ucrânia, o preço do barril de petróleo do tipo Brent (usado como referência pela Petrobras) teve quedas consistentes a partir de junho. Na tarde desta quinta-feira, o Brent era cotado perto de US$ 90.

Assine a newsletter gratuita da EXAME e receba, diariamente pela manhã, um resumo das notícias mais importantes no seu e-mail