Brasil

Lula diz que pretende mudar a política de preço da Petrobras

Segundo o petista, o presidente Jair Bolsonaro (PL) "não teve coragem" de tomar medidas para reduzir o preço do combustível que sai das refinarias

Lula: o petista voltou a argumentar que o país poderia ser "autossuficiente" na produção de derivados do petróleo (DOUGLAS MAGNO/AFP/Getty Images)

Lula: o petista voltou a argumentar que o país poderia ser "autossuficiente" na produção de derivados do petróleo (DOUGLAS MAGNO/AFP/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 27 de julho de 2022 às 15h35.

Última atualização em 27 de julho de 2022 às 16h31.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta quarta-feira, 27, que pretende mudar a política da Petrobras e abolir o modelo de Preço de Paridade de Importação (PPI), se for eleito em outubro. Segundo o petista, o presidente Jair Bolsonaro (PL) "não teve coragem" de tomar medidas para reduzir o preço do combustível que sai das refinarias.

"Essa história de PPI é para agradar os acionistas, em detrimento dos 230 milhões de brasileiros", afirmou, em entrevista ao UOL. A estatal, porém, tem como maior acionista a União. "A gente pode reduzir o preço, sim, o presidente não teve coragem", completou.

LEIA TAMBÉM: Lula segue Bolsonaro e promete volta do Bolsa Família com benefício de R$ 600

O petista voltou a argumentar que o País poderia ser "autossuficiente" na produção de derivados do petróleo e defendeu tornar a estatal "senão a primeira, a segunda maior empresa petroleira do mundo". A Petrobras passou a trabalhar com alinhamento de preços ao mercado internacional a partir do governo de Michel Temer, que desfez a política de preços controlados de Dilma Rousseff (PT).

Lula tem defendido retornar o modelo de gestão adotado para a estatal na gestão do PT. O ex-presidente costuma argumentar que a população "ganha em real e gasta em real" e, por isso, o preço dos combustíveis não deveria ficar suscetível às flutuações do câmbio.

Outra alegação frequente do presidente é de que o País é "autossuficiente" em petróleo, mas carece de refinarias para abastecer o mercado interno. Nesta quarta-feira, na entrevista que concedeu ao UOL, disse: "Um país que é autossuficiente em petróleo, que poderia estar exportando derivado, não tem capacidade de refinar a quantidade de consumo que nós precisamos (...) É uma vergonha".

LEIA TAMBÉM:

Janones pensou em desistir da candidatura, mas manteve após conversa com Lula

 Quem são os candidatos à Presidência da República nas eleições de 2022

Jingles para presidente 2022: Lula e Bolsonaro apostam em piseiro e sertanejo

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaPetrobras

Mais de Brasil

Lula critica pagamento de dívida por países pobres e defende mais investimentos em saúde e educação

Prefeitura suspende aulas em Porto Alegre devido às chuvas

BB desembolsa mais de R$ 9,1 bi em consignado a aposentados e pensionistas do INSS até abril

Com R$ 100,8 bilhões em 30 anos, RS lidera em prejuízos por extremos climáticos no Brasil

Mais na Exame