Economia

Petrobras anuncia redução de R$ 0,18 no preço do diesel, em 2º corte no mês

Novo preço do diesel para distribuidoras passa a valer a partir de quinta-feira, 23. É o segundo corte que entra em vigor no mês de março e o terceiro no ano

Posto de combustível (foto de arquivo): Petrobras anunciou nova redução no diesel (Leandro Fonseca/Exame)

Posto de combustível (foto de arquivo): Petrobras anunciou nova redução no diesel (Leandro Fonseca/Exame)

Carolina Riveira
Carolina Riveira

Repórter de Economia e Mundo

Publicado em 22 de março de 2023 às 10h57.

Última atualização em 22 de março de 2023 às 11h42.

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira, 22, redução no preço médio de venda de diesel A às distribuidoras. O corte foi de R$ 0,18 por litro no preço do diesel e o novo valor passa a valer a partir de quinta-feira, 23 de março.

O preço médio do diesel às distribuidoras passará de R$ 4,02 para R$ 3,84 por litro, uma redução de 4,5%. 

É a segunda redução feita pela Petrobras neste mês. Em 1º de março, já havia passado a vigorar uma redução de cerca de R$ 0,08 no preço médio do diesel às distribuidoras. No ano, é a terceira redução, com outro corte de R$ 0,40 já tendo sido feito em fevereiro.

O corte vale somente para o diesel, enquanto o preço da gasolina e outros combustíveis permanece como está.

Preço de importação

A Petrobras afirmou em nota que os preços tinham margem para redução, diante de momento mais favorável do petróleo no mercado internacional, que reduz o preço dos importadores. As mudanças vão em linha com a política de paridade com preços de importação (PPI) adotada pela Petrobras desde 2016.

"Essa redução tem como objetivos principais a manutenção da competitividade dos preços da Petrobras frente às principais alternativas de suprimento dos nossos clientes e a participação de mercado necessária para a otimização dos ativos de refino", disse a Petrobras em nota.

A estatal afirmou ainda, como já havia feito em outros comunicados neste ano, que "na formação de seus preços busca evitar o repasse da volatilidade conjuntural do mercado internacional e da taxa de câmbio, ao passo que preserva um ambiente competitivo salutar nos termos da legislação vigente."

O preço nos polos da Petrobras estava acima do preço de importação em R$ 0,10 no fechamento do mercado de quarta-feira, 21, segundo relatório diário da Abicom, associação de importadores. Desde a última redução nos preços da Petrobras em 1º de março, o diesel acumula R$ 0,20 em relação ao preço de importação, segundo a Abicom, o que abriu margem para o corte divulgado hoje.

O novo presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, já afirmou que é desejo do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na condição de acionista controlador, alterar a PPI e passar a aplicar outra política de preços na estatal.

A mudança, porém, depende da reformulação do conselho da empresa, o que só deve ocorrer no final de abril, com a nomeação dos novos conselheiros indicados pelo governo.

Quanto fica o preço do diesel

O preço na ponta ao consumidor é maior do que nas refinarias, pois envolve ainda margem de lucro nos demais pontos da cadeia de distribuição e impostos estaduais (os federais continuam zerados para o diesel). No caso do diesel, 10% da mistura vendida ao consumidor na bomba é também composta por biodiesel, o que altera o preço final.

  • No diesel, a Petrobras afirma que, com os 10% de biodiesel, a fatia da estatal no total do litro do diesel será, em média, de R$ 3,45/litro. 
  • A esse valor são acrescidas as margens de lucro das distribuidoras e tributos locais.

Antes do corte mais recente, para o consumidor na ponta, o preço médio do diesel S-10 vendido no Brasil estava em R$ 5,97 na semana encerrada em 18 de março, último dados disponíveis da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP).

O preço máximo encontrado em um posto foi de R$ 8,49 no período. Os preços variam em cada estado e cidade e, frequentemente, em diferentes bairros da mesma cidade.

A mudança no preço às distribuidoras, além disso, diz respeito somente ao diesel e gasolina comprados nas refinarias da Petrobras, que respondiam, antes das privatizações mais recentes de refinarias, por quase 70% do diesel e 80% da gasolina consumida no Brasil.

O Brasil também importa parte dos combustíveis que consome, já a preços próximos do mercado internacional e com custos de importação incluídos (e efeito do dólar), além de parte da produção feita em refinarias privatizadas. O combustível vendido por esses outros atores pode ter preços diferentes dos da Petrobras.

Acompanhe tudo sobre:Óleo dieselPetrobrasCombustíveis

Mais de Economia

Corte anunciado por Haddad é suficiente para cumprir meta fiscal? Economistas avaliam

Qual é a diferença entre bloqueio e contingenciamento de recursos do Orçamento? Entenda

Haddad anuncia corte de R$ 15 bilhões no Orçamento de 2024 para cumprir arcabouço e meta fiscal

Mais na Exame