Economia

Padilha diz que não participou de reunião sobre Petrobras e que assunto é com MME e Casa Civil

Lula havia convocado uma reunião para discutir a crise envolvendo a Petrobras, em meio aos ruídos sobre a possibilidade de saída do presidente da estatal, Jean Paul Prates, mas cancelou

Petrobras: Ministério da Fazenda recentemente ganhou um assento no Conselho da empresa (Mateus Bonomi/Getty Images)

Petrobras: Ministério da Fazenda recentemente ganhou um assento no Conselho da empresa (Mateus Bonomi/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 8 de abril de 2024 às 17h44.

Tudo sobrePetrobras
Saiba mais

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou nesta segunda-feira, 8, que não tem participado das reuniões sobre a Petrobras. Ele foi questionado no período da tarde desta segunda sobre a estatal após deixar reunião na residência oficial do Senado com o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), os líderes do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), e no Congresso, Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

"Sobre a Petrobras é muito fácil, eu comento brevemente. Eu não participei de nenhuma discussão sobre a Petrobras. Esse é um tema afeito ao ministro de Minas e Energia (Alexandre Silveira), ao ministro da Casal Civil (Rui Costa). Eles estão discutindo e são ministérios que participam do Conselho da Petrobras", declarou Padilha.

O Ministério da Fazenda recentemente ganhou um assento no Conselho da empresa e indicou o secretário executivo adjunto da pasta, Rafael Dubeux, para a função.

Crisa da Petrobras

Lula havia convocado uma reunião para discutir a crise envolvendo a Petrobras, em meio aos ruídos sobre a possibilidade de saída do presidente da estatal, Jean Paul Prates, na noite do domingo, mas cancelou a reunião após ficar irritado com o vazamento do encontro.

Desde a semana passada, após os rumores sobre a saída de Prates, passou a se especular em Brasília quem poderia assumir o posto. O nome do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante, aparece, até o momento, como o mais cotado.

Haddad: Quem decide sobre dividendos é a Petrobras e assunto está encaminhado pelos diretores

Não está descartada, no entanto, a possibilidade de manutenção do atual presidente da Petrobras no cargo e de costura de um "meio-termo" para apaziguar os ânimos entre integrantes do governo.

Como mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), um arranjo alternativo seria Mercadante na presidência do Conselho da estatal, mediando conflitos entre a diretoria e demais integrantes indicados pelo Poder Executivo, enquanto Prates manteria o cargo, mas com foco na parte operacional da empresa.

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:PetrobrasFernando HaddadDividendosAlexandre Padilha

Mais de Economia

Eletrobras: trabalhadores poderão entrar em greve a partir de 3 de junho

'Esta semana fiquei nervoso porque vi o preço do arroz muito caro no supermercado', diz Lula

Dia da Indústria: setor busca modernização, com inovação e compromisso sustentável

Campos Neto vê 'notícia ruim' em projeções de inflação

Mais na Exame